Fonte: OpenWeather

    Renúncia


    Presidente do Banco do Brasil renuncia ao cargo

    Nos quase seis meses de administração, a gestão de André Brandão concentrou-se em cortar custos

     

    A saída terá efeito a partir de 1º de abril
    A saída terá efeito a partir de 1º de abril | Foto: Arquivo/Agência Brasil

    Brasília - Depois de menos de seis meses no cargo, o presidente do Banco do Brasil (BB), André Brandão, renunciou na quinta-feira (18). A renúncia foi divulgada no início da noite, em fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão responsável por regular as relações de companhias com ações na bolsa de valores com os investidores. A saída terá efeito a partir de 1º de abril.

    Segundo o comunicado, Brandão apresentou o pedido de renúncia hoje ao presidente Jair Bolsonaro, ao ministro da Economia, Paulo Guedes e ao presidente do Conselho de Administração do BB, Hélio Lima Magalhães. O Palácio do Planalto e o Ministério da Economia ainda não informaram o nome do substituto.

    Brandão tinha assumido o comando do Banco do Brasil em 22 de setembro do ano passado, sucedendo a Rubem Novaes. Nos quase seis meses de administração, a gestão concentrou-se em cortar custos.

    O presidente do BB implementou um programa de desligamento voluntário de cerca de 5 mil funcionários do banco e fechou 361 pontos de atendimento em todo o país, para economizar R$ 353 milhões em 2021 e R$ 2,7 bilhões até 2025. Em contrapartida, a gestão anunciou a abertura de 14 agências voltadas ao agronegócio.

    Veja mais:

    Entidades divergem sobre alta na taxa básica de juros da economia

    Copom eleva juros básicos da economia pela primeira vez em seis anos

    Emprego: Caixa Econômica abre quase 8 mil vagas para contratação; veja