Fonte: OpenWeather

    Sustentabilidade


    Projeto incentiva produção de artesanato a partir de planta amazônica

    As peças artesanais são produzidas com fibra vegetal retirada da folha da palmeira

     

    O trabalho com artesanato iniciou em 2018 e atende 43 associados
    O trabalho com artesanato iniciou em 2018 e atende 43 associados | Foto: Divulgação

    Manaus - Na comunidade Vila Ecológica Céu dos Estorrões, em Ipixuna (a 1.367 quilômetros de Manaus), o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) está realizando o acompanhamento técnico do Projeto Educacional de Design de Artesanato e Desenvolvimento Sustentável.

    As peças artesanais são produzidas com fibra vegetal retirada da folha da palmeira, e o trabalho é organizado pela Associação de Apoio ao Agroextrativismo de Ipixuna.

    O projeto é resultado do edital 2020 do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS). As atividades contam também com o apoio da Igreja do Santo Daime no município, Instituto Viçosa-MG e Instituto Nova Era de Ribeirão Preto-SP.

    O trabalho com artesanato iniciou em 2018 e atende 43 associados, beneficiando direta e indiretamente cerca de 35 famílias. Entre os produtos confeccionados estão maracas, terços, linhas do tucum e pulseiras.

    De acordo com a coordenadora geral do projeto, Christiana Braconnot, o objetivo é aumentar a capacidade produtiva dos itens, introduzir novas tecnologias artesanais por meio da capacitação em tear manual, facilitar o escoamento da produção e fortalecer o desenvolvimento sustentável da comunidade, por meio do comércio justo e da economia solidária.

    “A Associação garante a sobrevivência e valorização cultural dos conhecimentos ribeirinhos, em especial o resgate da fiação da linha do tucum, técnica que estava em extinção. Damos a oportunidade de desenvolver as habilidades, visto que o projeto valoriza a feitura da linha manual”, afirmou. 

    Para o gerente do Idam em Ipixuna e diretor técnico do projeto, Valdécio Gomes, a comunidade é bastante integrada com a natureza e atividades voltadas à sustentabilidade.

    “O projeto é de extrema importância para gerar renda às famílias e ajudar na prática da agricultura familiar. Para isso, o Idam faz todo o acompanhamento técnico para apoiar o fortalecimento do projeto”, destacou Gomes.

    Comercialização

    Até 2019, parte da produção de artesanato era vendida a varejo dentro da comunidade, que tem dois eventos anuais ligados ao turismo ecológico e religioso.

    Durante a pandemia, a associação criou uma página no Instagram, ainda em construção, para facilitar a divulgação e venda do produto. “Procuramos soluções digitais que vão ao encontro das necessidades impostas pelo atual momento. A ideia é massificar a venda pelas redes sociais e e-commerce”, concluiu Christiana.

    *Com informações da assessoria

    Veja mais:

    Conheça a riqueza do artesanato indígena no Mercado Adolpho Lisboa

    Projeto do Sebrae beneficiará artesãos amazonenses com capacitação

    Inscrições para cadastro de artesãos estão abertas em Manaus