Fonte: OpenWeather

    Crescimento


    Setor de supermercados fatura 554 bilhões em 2020

    Segundo o levantamento da Abras, o valor representa 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil

     

    São 3 milhões de empregos diretos e indiretos no setor
    São 3 milhões de empregos diretos e indiretos no setor | Foto: Arquivo EM TEMPO

    São Paulo - O faturamento do setor de supermercados no Brasil, que conta com 91.351 lojas, chegou a R$ 554 bilhões em 2020. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), que ressaltou que o valor representa 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. São 3 milhões de empregos diretos e indiretos no setor.

      “O faturamento das 91 mil lojas, com as mudanças novas que estamos trazendo neste momento, são 554 bilhões de reais. Neste valor, nós temos todos os canais de distribuição dos supermercados. Estamos falando das vendas físicas, das vendas por e-comerce, por delivery”, disse Marcio Milan, vice-presidente da Abras.  

    Ele acrescentou que os dados incluem todos os canais, os supermercados de bairro, os supermercados tradicionais, os minimercados, os chamados atacarejo.

    "Essa grandeza hoje aqui demonstrada traz para a Abras um novo patamar, uma nova informação, de uma sinalização como vai ser tratada essa grandeza dos segmentos hoje que atende quase 90% da população”, disse Milan.

    Alta de 7,06% nas vendas do primeiro trimestre

    As vendas em supermercados tiveram alta de 7,06% no primeiro trimestre do ano em comparação com o período de janeiro a março de 2020. Segundo balanço divulgado pela a Abras, na comparação entre março de 2021 e o mesmo mês do ano passado, o crescimento ficou em 4,31%.

      De acordo com Milan, com a previsão de abertura da economia conforme o avanço da vacinação, a tendência do setor é manter a estimativa de crescimento de 4,5% nas vendas do ano.  

    Milan lembrou que o aumento das restrições impostas nas quarentenas contra o coronavírus impactou parcialmente o resultado de março.

    “No final de março, ainda tivemos muitas restrições que ocorreram por determinações de legisladores municipais e estaduais”, destacou Milan.

    Veja mais:

    Supermercados brasileiros têm alta de 7,06% nas vendas

    Após denúncias, supermercados são vistoriados em Manaus

    No Amazonas, preço da farinha acumula alta de 45,11% desde 2020