Fonte: OpenWeather

    Extrativismo


    Extrativistas de piaçava passam a ter direito à subvenção no AM

    Além do valor que o produtor comercializa a piaçava no mercado, ele também receberá a subvenção equivalente a R$ 0,50 por quilo do produto vendido

     

    Com a decisão, centenas de famílias que vivem da atividade extrativista serão beneficiadas
    Com a decisão, centenas de famílias que vivem da atividade extrativista serão beneficiadas | Foto: Arquivo EM TEMPO

    Manaus - O Governo do Amazonas acaba de incluir a piaçava no plano de apoio aos produtores de fibras do Amazonas, assim beneficiando centenas de famílias que vivem da atividade extrativista. Agora, o produto passa a fazer parte da concessão de subvenções do estado, juntamente com a juta, malva, borracha natural e o pirarucu de manejo.

    A decisão foi consolidada com a publicação do Decreto de nº 43.852, de 11 de maio de 2021, no Diário Oficial do estado.

      A política de benefício será desenvolvida pela Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) e executada pela Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS). Com isso, além do valor que o produtor de piaçava comercializa seu produto no mercado, ele também receberá, em cumprimento ao decreto governamental, a subvenção equivalente a R$ 0,50 por quilo do produto vendido.  

    A inclusão da piaçava na lista de apoio aos produtores do Amazonas reforça a agenda do governador Wilson Lima direcionada ao setor extrativista, tendo em conta a importância social e econômica dessa cadeia produtiva.

    “O governador prometeu e agora cumpre o apoio aos piaçaveiros do Rio Negro com a inclusão da piaçava entre os produtos amparados pela subvenção estadual, com o valor de R$ 0,50 o quilo. Isso vai gerar renda a uma população esquecida há bastante tempo”, disse o secretário titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior.


    O decreto informa ainda que os sindicatos dos trabalhadores rurais, cooperativas representativas dos piaçaveiros e associações serão responsáveis pelo recebimento e repasse dos valores, destinados aos produtores extrativistas, em cada município onde a cultura é praticada.  

    Na ausência destes, as Organizações Sociais, sem fins lucrativos, poderão ser pagadoras do subsídio, desde que entre suas atividades esteja a proteção e preservação do meio ambiente, e que sejam cumpridas as exigências de legalidade junto ao Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável (Idam).

    Sobre a piaçava

    É uma fibra natural extraída de algumas espécies de palmeiras. Ela é usada na fabricação de artesanato, vassouras, entre outros produtos, e fortalece o comércio local onde é comercialmente extraída. Na região amazônica a espécie endêmica é a Leopoldinia piassaba.

    *Com informações da assessoria

    Veja mais:

    Produção de piaçava vai ser regulamentada no Amazonas

    Deputada propõe subvenção para extrativismo da piaçava em Barcelos

    Piaçabeiros: a solidão e os desafios da escravidão contemporânea no extrativismo em Barcelos