Fonte: OpenWeather

    Duas Rodas


    No PIM, produção de motocicletas sofre queda de 15,1% em maio

    Como consequência da segunda onda da Covid-19 no Amazonas, a retração na fabricação de motocicletas gera um cenário de incerteza para os próximos meses

     

    Em números, 103.792 unidades foram produzidas em maio
    Em números, 103.792 unidades foram produzidas em maio | Foto: Divulgação

    Manaus – O Setor de Duas Rodas do Polo Industrial de Manaus (PIM) ainda tem sido afetado pela pandemia da Covid-19 e seus desdobramentos. A fabricação de motocicletas no Amazonas teve queda de 15,1% em maio deste ano, na comparação com o mês anterior. Em números, 103.792 unidades foram produzidas em maio e 122.220 em abril, segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

    O levantamento da Abraciclo também demonstra que, em maio de 2021, houve um crescimento de 600,9% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando 14.809 unidades foram fabricadas no PIM.

      Contudo, é importante lembrar que esse grande aumento só foi registrado devido à baixa produção em 2020, dado os obstáculos postos pela primeira onda da pandemia no estado.  

    Segundo o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, o segmento tem se recuperado aos poucos e se aproxima dos resultados do pré-pandemia. De janeiro a maio deste ano, 463.413 unidades de motocicletas foram produzidas, volume aproximado ao mesmo período em 2019, com 468.984 unidades.

    Entretando, Fermanian afirma que ainda existem preocupações com o cenário geral, levando em conta a instabilidade em relação à produção nos próximos meses. Segundo ele, uma terceira onda da Covid-19 pode trazer grande insegurança para o Setor de Duas Rodas no PIM

    "

    No momento, as fábricas mostram uma curva de recuperação. No entanto, estamos apreensivos em relação ao ritmo do avanço da pandemia nos próximos meses. [...] A curto e médio prazo, o cenário da indústria ainda está indefinido, principalmente por conta da Covid-19, que traz riscos como uma terceira onda e cidades em lockdown. É preciso acelerar o programa de vacinação para a retomada da economia "

    Marcos Fermanian, Abraciclo

     

    Desabastecimento

    Sobre a reposição das motocicletas às concessionárias, o representante da Abraciclo explica que a situação deve ser regularizada gradativamente, já que o volume de produção permanece baixo.

    Embora exista a questão do desabastecimento, há uma expectativa de melhora e uma projeção para que 1.060.000 motocicletas sejam produzidas até o final deste ano.

    Para os modelos da categoria Street, usada pelos entregadores de aplicativo, a fila de espera pode chegar a 45 dias. Diferente das motocicletas premium e de uso misto, que estão com o abastecimento normalizado, pois possuem demanda menor, de acordo com Fermanian.

    Vendas

    Com 110.376 unidades licenciadas em maio, as vendas no varejo alcançaram o melhor resultado do ano. O desempenho também é considerado o melhor desde 2014, com 126.701 unidades emplacadas. Na comparação com abril, que teve 94.654 motocicletas emplacadas, o volume foi 16,6% maior.

    Em relação ao mesmo mês de 2020, houve alta de 278,1%. Em maio do ano passado, as vendas no varejo totalizaram 29.192 unidades.


    A motocicleta Street liderou o ranking das categorias mais vendidas. Em maio foram emplacadas 54.714 unidades, o que corresponde a 49,6% de participação do mercado. Em segundo lugar, ficou a Trail (24.028 unidades e 21,8% de participação), seguida pela Motoneta (14.941 e 13,5%).  

    Com 21 dias úteis, a média diária de vendas em maio foi de 5.256 unidades. Na comparação com abril, que teve um dia útil a menos e média diária de 4.733 motocicletas licenciadas, houve alta de 11,1%. Em relação a maio do ano passado, que também contou com 20 dias úteis, o aumento foi de 260,1%. Naquele mês, a média foi de 1.460 emplacamentos/dia.

    Os emplacamentos no acumulado do ano totalizaram 410.474 unidades, volume 34,9% superior às 304.286 motocicletas licenciadas no mesmo período de 2020. As posições do ranking foram mantidas: Street (201.550 unidades e 49,1% do mercado), Trail (84.653 unidades e 20,6%) e Motoneta (54.541 unidades e 13,3%).

    Leia mais:

    Produção de bicicletas tem queda de 19,7% na Zona Franca

    No Polo Industrial de Manaus, produção de motocicletas cresce 8,2%

    Redução de imposto para bicicletas coloca em risco empregos no PIM