Fonte: OpenWeather

    Projeto econômico


    Em Manaus, programa de aceleração econômica deve gerar 60 mil empregos

    A área de infraestrutura receberá a maior parte do investimento, com cerca de R$ 438 milhões

     

    O programa irá abranger área da saúde, educação, infraestrutura, urbanização, mobilidade urbana e feiras
    O programa irá abranger área da saúde, educação, infraestrutura, urbanização, mobilidade urbana e feiras | Foto: Divulgação/Semcom

    Manaus - A crise econômica gerada pela pandemia trouxe efeitos devastadores para a população amazonense. Com a sexta maior taxa de desemprego do país no primeiro trimestre de 2021, a estimativa de desocupação no Amazonas chegou a mais 380 mil pessoas, segundo o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

    A universitária Patrícia Rodrigues, 22,  faz parte das estatísticas. Antes da pandemia, a  estudante já buscava se inserir no mercado de trabalho, mas sem sucesso.  Porém, com a crise sanitária, o processo ficou mais dificultoso. Para ajudar com as contas de casa, ela passou a vender doces na rua, negócio que também foi afetado pela Covid-19.

    “Eu tenho um filho com deficiência intelectual e eu preciso sustentá-lo. Ficou mil vezes pior de conseguir emprego em qualquer área agora com a pandemia. Trabalhar em empresa que dê carteira assinada é difícil. A gente envia o currículo e ninguém chama, né? Eu até passei a vender doces, mas, com a chegada do vírus, as pessoas pararam de comprar”, desabafa Patrícia.

    A taxa de desemprego de 17,5% do estado, de janeiro a março deste ano, subiu 2,0 pontos percentuais em relação ao trimestre de outubro a dezembro de 2020 (15,5%), e cresceu 3,0 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior (14,5%), conforme os dados do IBGE. 

    Projeto econômico 

      Com o objetivo de frear o constante aumento dessa porcentagem na capital - que representa 53% da população do estado - a Prefeitura Municipal de Manaus lançou o programa de crescimento econômico e social Mais Manaus. Com investimento de mais de R$ 1,2 bilhão, o projeto visa melhorias nas áreas da saúde, educação, infraestrutura, mobilidade urbana, feiras e mercados, com geração de mais 60 mil empregos diretos e indiretos.  

    A área de infraestrutura receberá a maior parte do investimento, com cerca de R$ 438 milhões, aplicados na construção de complexos e interligação viários, recuperação de 10 mil ruas, adequação do Distrito de Micro e Pequenas Empresas (Dimicro), a construção de mil unidades habitacionais, entre outros.

    Em urbanização, com R$ 407 milhões, haverá revitalização do Centro Histórico de Manaus, recuperação de parques, arborização e jardins suspensos nas vias urbanas, a construção do Museu da Zona Franca de Manaus (ZFM) e a revitalização urbanística do Polo Industrial de Manaus (PIM).

     

    A área de infraestrutura receberá a maior parte do investimento, com R$ 438 milhões.
    A área de infraestrutura receberá a maior parte do investimento, com R$ 438 milhões. | Foto: Divulgação/Semcom

    Em mobilidade urbana, com R$ 49 milhões investidos, será iniciada a construção do Terminal 7, além da reforma de plataformas, implantação de semáforos inteligentes, construção de passarelas e sinalizações viárias.

      Na saúde, serão aplicados R$ 129 milhões em construção de novas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e requalificação de 68 unidades de saúde. Na educação, que receberá R$ 80 milhões, haverá a construção de novas creches e retomada das obras em outras unidades, totalizando mais de 2.200 vagas. Está prevista ainda a ampliação e reforma de escolas.  

    Com R$ 35 milhões, na área de mercados serão reformadas e construídas novas feiras, além da reforma de galerias populares.  “Nós estamos fazendo mais com menos, otimizando os recursos. Inclusive esse projeto já começou”, afirmou o prefeito David Almeida, referindo-se à revitalização das vias iniciadas, já no dia 17, pela Compensa e pela recuperação da Avenida das Torres.

    De acordo com a economista Denise Kassama, o agravamento da crise sanitária retraiu a atividade econômica amazonense e, consequentemente, acarretou com a piora de indicadores sociais. O Mais Manaus chega como uma forma de desafogar o setor pelos próximos 24 meses.    

    "

    “Investimentos públicos podem contribuir para reverter o processo de crise e estimular o crescimento econômico, uma vez que possuem efeito multiplicador. Ao promover uma obra de infraestrutura, o poder público irá contratar, mediante processo licitatório, empresas para realizá-la, que, por sua vez, irão gerar empregos diretos. Estes trabalhadores deverão consumir bens e serviços ofertados na economia, estimulando a oferta e o crescimento econômico. Além disso, a sociedade também ganha com os serviços e obras”, "

    economista, ressalta a

     

    Leia mais:

    Veja as obras anunciadas por David Almeida para Manaus

    Programa "Mais Manaus" inclui viaduto da Bola do Produtor e mirante

    Bairros da zona Leste de Manaus recebem obras de infraestrutura