Fonte: OpenWeather

    Projeto FIC Rural


    Projeto foca na agricultura indígena no interior do Amazonas

    Ação do programa Agro Amazonas do Governo do Estado vai beneficiar 30 participantes de sete etnias do município

     

    | Foto: Divulgação/Sepror

    MANAUS - A Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) iniciou, na segunda-feira (6), o primeiro curso programado para o mês de setembro pelo projeto de Formação Inicial Continuada Rural (FIC-Rural), dentro do programa Agro Amazonas.

    O curso de Agricultura Indígena, com foco em acesso às políticas públicas de comercialização, segue até a quarta-feira (8) e vai beneficiar 30 alunos de sete etnias do município de São Gabriel da Cachoeira (distante 852 quilômetros de Manaus).

    Participam também do projeto FIC-Rural o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), a Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS) e o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam).

     

    | Foto: Divulgação/Sepror

    Com duração de três dias e oito horas aulas diárias, o curso em São Gabriel da Cachoeira está sendo ministrado no Centro Cultura Tuyuka, pelos técnicos Lázaro Reis (Idam), Eduardo Rizzo e Carla Coelho (Sepror). Os alunos são das etnias Tuyuka, Dessana, Baré, Piratapuia, Tukano, Kubeu e Húpida, e fazem parte de duas organizações formais do município: Associação da Etnia Tuyuka e Associação do Assentamento Teotônio Ferreira.

    “O FIC Rural tem como objetivo levar ao homem do campo conhecimentos e formação técnica, para que possam desenvolver suas atividades com mais eficácia e confiança. São cursos pluralizados nas mais distantes áreas e comunidades rurais do Amazonas”, disse a chefe do Departamento Pedagógico da Sepror, Eliane Craveiro.

    Leia mais:

    Arte indígena faz história na Bienal de São Paulo

    FEI lança videorreportagem em homenagem ao Dia da Amazônia

    Pela terceira vez, votação do Marco Temporal é adiada pelo STF