Fonte: OpenWeather

    Economia


    Arthur descarta aumento da tarifa de ônibus para o primeiro semestre

    As empresas do consórcio de transporte já sugeriram, ainda no ano passado, o valor de R$ 3,25 – foto: Joel Rosa
     
     
     
    O prefeito Arthur Virgílio Neto garantiu nesta quinta-feira (17) que não pretende discutir durante o primeiro semestre um possível reajuste da tarifa de ônibus.
    Arthur acrescentou ainda que não irá ceder à pressão do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), que pleiteia um reajuste global desde outubro do ano passado.
    “Caso o governo federal realmente determine o aumento no preço do combustível em todo o país, este será apenas mais um ponto a ser levado em conta na mesa das discussões com os empresários, mas não iremos ceder a quaisquer tipos de pressões”, disse.
    Questionado sobre quais percentuais pretende levar para uma possível mesa de negociação, Arthur Neto afirmou que ainda não solicitou um estudo técnico por acreditar que a cidade precisa ter uma infraestrutura digna para o transporte para só então pensar em negociar majoração de tarifa.
    “Ainda há ruas esburacadas que irão passar por recapeamento. Não trabalho com hipóteses. Quando e se o governo federal optar pelo aumento dos combustíveis, aí, sim, vamos nos pronunciar sobre esse assunto. Vamos manter o diálogo aberto com o Sinetram para analisar todas as reivindicações, mas por enquanto o aumento da tarifa está descartado”, declarou Artur.
    No ano passado, a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) divulgou um estudo técnico sobre a necessidade ou não do aumento da tarifa de ônibus em Manaus, cujo resultado apontou para um reajuste tarifário de R$ 2,91 contra os R$ 3,25 reivindicados pelo Sinetram. O valor atual da passagem em Manaus é de R$ 2,75.