Fonte: OpenWeather

    Economia


    Novo mínimo irá injetar R$ 384 milhões no Estado

    Conforme o IBGE, no total, 612 mil trabalhadores amazonenses deverão receber, a partir deste mês, salário de R$ 678 - Foto: Reprodução
     
    Com o novo valor do salário mínimo em vigor, 612 mil amazonenses devem passar a receber no contracheque, a partir deste mês, R$ 678. O reajuste de 9% no vencimento dos trabalhadores garantirá à economia local injeção de R$ 384 milhões até o final do ano, segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
     
    Para o chefe de Disseminação de Informações do IBGE no Amazonas, Adjalma Jacques, o aumento favorecerá a economia local e, principalmente, quem terá um "dinheirinho a mais" todo mês, mas com ressalvas. "Em tese, a entrada de mais dinheiro no bolso do trabalhador, principalmente daqueles que ganham menos é saudável e muito bem-vinda, porém o aumento do salário mínimo pode influenciar nos preços das despesas do profissional", observou.
     
    De acordo com Jacques, o salário mínimo além de ser um valor real é também um indicador, ou seja, serve como parâmetro para diversos tipos de preços, seja para serviços ou produtos. "Assim, a medida que há a injeção do salário mínimo na economia, certamente haverá o reajuste de preços e, consequentemente, cresce a inflação no país", advertiu.
     
    O novo valor do salário mínimo, que passa de R$ 622 para R$ 678, já está em vigor. O reajuste, de aproximadamente 9%, corresponde à variação do Produto Interno Bruto (PIB) de 2011, de 2,73%, mais a variação anual do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que, para o estabelecimento do valor, foi estimada em 6,10%.
     
    Estima-se que 45,5 milhões de brasileiros têm rendimento referenciado no salário mínimo. Cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) indicam que o reajuste de 9% representará incremento de R$ 32,7 bilhões de renda na economia nacional ao longo do ano.
     
    Arrecadação
     
    De acordo com o Dieese, a arrecadação tributária sobre o consumo deverá crescer R$ 15,9 bilhões em 12 meses. Já o impacto do aumento do salário mínimo nas contas da Previdência, conforme a entidade, deverá representar um custo adicional ao ano de R$ 15 bilhões.
     
    Tanto os previdenciários (como aposentadorias) quanto acidentários ou assistenciais são atrelados ao salário mínimo. Em outubro passado, foram pagos quase 30 milhões de benefícios - cujo valor médio foi de R$ 937.O valor do salário mínimo de R$ 678, que entrou em vigor no primeiro dia deste ano, atende às regras da política de valorização de longo prazo do salário mínimo, estabelecida pelo governo federal em negociação com as centrais sindicais.