Fonte: OpenWeather

    Editorial


    Uma boa indicação de primeiro mandato

    Um vereador tucano resolveu, em boa hora e usando corretamente (uma raridade) sua prerrogativa de legislador da cidade, indicar ao Executivo municipal “a realização de cursos para profissionalizar cerca de 400 artistas que trabalham no Festival Folclórico de Manaus”, realizado durante o meses de julho a agosto, mudança de calendário da festa junina, imposta pelo Festival Folclórico de Parintins, que privilegia dois bumbás em detrimento de mais de uma dezenas de outras manifestações populares daquele município.
    O vereador Rozenha, em seu primeiro mandato, além de ser, ao menos por enquanto, membro do PSDB, integra, ao menos por enquanto, a superbase (38 em 41 parlamentares) aliada do prefeito Arthur Neto, e não terá dificuldade em ver sua indicação acolhida por uma administração que se anuncia empenhada em criar uma inédita política cultural para a capital amazonense, justamente operando nesse segmento de oferecer aos artistas acesso aos instrumentos e ao conhecimento para a expressão do seu talento.

    A indicação já nasce fortalecida, porque a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) desenvolve, há quase 20 anos, um programa de profissionalização da mão de obra que constrói, hoje, quase 100% do Festival Amazonas de Ópera, sua mais complexa e sofisticada produção. Não será de espantar, portanto, que a maioria desses 400 artistas tenha se privilegiado de algum tipo de contato com esse centro de produção e formação profissional da SEC (sem contar com a “importação”, pelas escolas de samba de Manaus de artesãos e técnicos de Parintins, durante o Carnaval).

    Porque, sem prejuízo de um calendário de eventos que se justifique na história da cidade e não no modismo, produzido por produtores oportunistas e aceito sem assessoria crítica pelos políticos que acreditam ver dois votos e meio em dois foliões bêbados, o que os artistas e sua plateia precisam é justamente dessa acessibilidade aos meios de desenvolvimento e modernização dos sentidos. Artista e plateia bem informados sabem em quem votar.