Fonte: OpenWeather

    Relacionamento


    Está se relacionando com homens que possuem o mesmo comportamento?

    Traição, brigas, falta de atenção e distância são as principais causas para o término de relacionamentos. Por isso, é fundamental conhecer melhor os pretendentes e principalmente se amar. Essas medidas podem evitar decepções.

    Quando todos os homens com que se relaciona, parecem ter o mesmo ponto negativo, está na hora de rever as prioridades.
    Quando todos os homens com que se relaciona, parecem ter o mesmo ponto negativo, está na hora de rever as prioridades. | Foto: Internet

    Manaus (AM) - Sabemos que o ser humano tem facilidade em se adaptar a muitas situações, mas quando se trata de relacionamento é difícil sair da zona de conforto. E se você é uma das mulheres que sempre se questiona: “Porque eu sempre atraio o mesmo tipo de homem? ”, saiba que você não está sozinha. Muitas mulheres carregam consigo crenças limitantes, isso porque investir em algo novo é realmente complicado. Mas hoje, vamos te mostrar como sair desse ciclo de homens que apresentam o mesmo comportamento.

    Várias mulheres são atraídas por homens que possuam padrões estéticos, emocionais e intelectuais parecidos com os dela, seja em termos de religião, raça ou até mesmo profissão. Mas quando todos parecem ter o mesmo ponto negativo está na hora de rever as prioridades.  

    A acadêmica Natália Lima, admitiu já ter passado por situações como esta e acredita que o erro está em sempre frisar nos momentos negativos que aconteceram.

    “Sempre pensava no que fez com que o relacionamento anterior tenha dado errado e acho que isso fazia com que eu ficasse insegura. Isso me levava a não curtir o relacionamento atual. O fato é que eu sempre era traída pelos caras", afirma. 

    De acordo com a psicóloga e coaching de inteligência emocional, Silvia Salgado, em situações como esta, se faz prova que atraímos aquilo que falamos, sentimos e pensamos.

    “Quando temos um relacionamento ruim, sentimos diversas emoções que estão em nossa rede neural. Quando saímos dessa relação temos a fase de ficar na fossa e isso acaba fortalecendo esses pensamentos, e de forma inconsciente atraímos o mesmo padrão de parceiros”.

    Como solucionar isso?

    Para esses casos, a especialista dá uma dica: ao invés de focar no que não quer, deve-se focar no que quer verdadeiramente de um relacionamento e quais as características ideais que o homem deve ter.

    É importante lembrar que não existe relacionamento perfeito e nem parceiros perfeitos. Então não vamos ficar na ilusão em achar o príncipe encantado e saber lidar com as diferenças, afinal isso é fundamental em todo relacionamento.

    Prioridades

    Se conhecer e se amar e conhecer melhor o pretendente são armas poderosas para evitar decepções.
    Se conhecer e se amar e conhecer melhor o pretendente são armas poderosas para evitar decepções. | Foto: Internet

    Para evitar decepções, a nossa personagem Natália desenvolveu, recentemente, uma tática que tem dado certo: conhecer seus parceiros antes de entrar de cabeça em um relacionamento. Ela conta que prefere analisar se o pretendente se enquadra em seus critérios.

    “Eu não sou de escolher muito, mas me sinto atraída por homens mais velhos do que eu. Agora busco conhecer e conversar o máximo possível para saber se a pessoa tem ideais parecidos com os meus. Até porque relacionamento, para mim, é coisa séria. Desde essa prática, tive relacionamentos mais longos que apesar das diferenças me ajudaram a aprender muito”, enfatiza.

    A psicóloga, Silvia, ressalta que esse tempo entre um relacionamento e outro é fundamental, não só para curtir a fossa mas para se conhecer.

    “Precisa ficar bem claro que ninguém vai te trazer felicidade. Você precisa aprender a se amar primeiro, buscar sua felicidade em si e nunca no outro. Se você buscar felicidade no outro tenha certeza que você irá se frustrar”, pontua.

    É o que faz Natália, ela afirma que dependendo do momento prefere não se relacionar.

    “Se eu tiver com novos projetos prefiro focar na minha vida profissional, pois, fico muito ocupada e não consigo me dedicar a conhecer a pessoa como gostaria. Por isso, prefiro cuidar de mim nessas situações”, frisa a acadêmica.

    Mas nem sempre o erro está no outro, as vezes é  preciso admitir que as atitudes precisam ser revistas, afinal, se você quer se tornar mais segura e confiante é preciso fazer uma autoavaliação. Assim é possível desenvolver e potencializar a inteligência emocional, elevando assim a autoestima. É uma forma de torna-se mais segura e tranquila para ter relacionamentos saudáveis.