Fonte: OpenWeather

    Cuidado íntimo


    Especialista alerta sobre riscos de introduzir objetos na vagina

    Legumes, babyliss, escovas, embalagens de esmalte, lápis... A lista dos objetos usados por mulheres na hora da masturbação é longa e o incentivo do uso na internet só cresce, mas o que pouco se fala é o risco de introduzí-los nas partes intimas.

    Lesões em regiões intimas podem ocasionar doenças e odores | Foto: Reprodução

    Manaus - Legumes, babyliss, escovas, embalagens de esmalte, lápis... A lista dos objetos usados por mulheres na hora da masturbação é longa e o incentivo do uso na internet só cresce, mas o que pouco se fala é o risco de introduzi-los nas partes intimas. Então lembre-se: se sua casa não é um sex shop, esses costumes precisam parar.

    A vagina possui um tecido extremamente sensível e fino, e apesar de elástico ela não está adaptada para receber tubos de desodorante, por exemplo. Introduzir alguns objetos nela pode causar infecções graves e até mesmo hemorragias internas sérias. Isso porque se o “brinquedo” quebrar dentro do órgão, somente cirurgia para retirá-lo, isso sem contar reações alérgicas que podem ser causadas pelos componentes químicos dos objetos.

    Especialistas condenam utilizar itens não indicados na hora do prazer. “Eu já recebi pacientes que introduziram garrafas de vidro na vagina ocasionando uma rasgadura no fundo do órgão e isso é extremamente perigoso porque se o paciente não conseguir um atendimento hospitalar com urgência, a hemorragia se agrava, levando até mesmo a morte, então não é normal o uso desses objetos”, alertou a ginecologista, Édily Tourinho.

    A especialista ressaltou ainda que a consequência dessa prática é muito grave. “Logico que nem sempre vai haver rasgadura da vagina, mas em casos do uso de alimentos, o agrotóxico pode ocasionar reações alérgicas. Se restos de comida ficarem dentro do órgão, infecções e odores podem aparecer e, se não forem tratados, essa mulher vai ter dores durante a relação e lesões por toda a vida”.

    Chuveirinho

    O banho é uma oportunidade diária de a mulher sentir cada parte do próprio corpo. Masturbar-se com o chuveirinho é uma estratégia para o prazer, já que há o relaxamento associado à intensidade do jato de água diretamente sobre o clitóris, mas é importante alertar sobre o uso de sabonetes nas regiões intimas.“Sabonetes são feitos para melhorar a higiene e apenas para isso devem ser usados, eles possuem componentes químicos. A flora vaginal é sensível a eles, assim como suas fragrâncias. Lembrando que o sabonete intimo também não deve ser usado para práticas como essa”.

    Em muitos casos, não é só a vagina a sofrer com a curiosidade das mulheres, o ânus também é um dos atingidos por objetos indesejáveis. O ideal é experimentar o sexo anal com o parceiro e principalmente com o uso de lubrificante.  “Acontece casos de o instrumento utilizado atinge o intestino e perfura a região, quando isso acontece é bem mais sério, porque dois órgãos foram atingidos, somente com cirurgia pode ser revertido, se o caso for grave, o paciente precisará convive com as consequências”, disse a ginecologista.

    O mercado oferece diversas (e variadas) opções de brinquedos sexuais, desenvolvidos especificamente para a masturbação. “Esses produtos diminuem as chances de lesões. Além disso, como são feitos de materiais específicos para isso, você pode higienizá-los depois de usar”, explica a ginecologista.

    Uso dos dedos

    Por mais comum que possa parecer, o uso dos dedos também apresenta riscos, mas calma, tem como se prevenir deles. Lavar bem as mãos e manter as unhas curtas e limpas ajudam a não infeccionar as partes intimas. A mesma dica vale para preliminares com seu parceiro, ambos precisam ser higiênicos.

    A especialista deixa um alerta na hora de usar os dedos na masturbação. “Tenha cuidado para não trazer resíduos do ânus para a vagina, evite infectar a região com bactérias”.