Fonte: OpenWeather

    Revelação


    Atriz revela ter sido abusada por pai da melhor amiga

    A artista brasileira quebrou o silêncio e contou em entrevista sobre o estupro que sofreu quando tinha apenas 12 anos

    | Foto: Reprodução/Instagram

    Manaus- Aos 37 anos, a atriz Karen Junqueira, emocionou leitoras e internautas ao revelar um segredo guardado por duas décadas. Em seu depoimento nesta terça-feira (21), Karen contou que foi estuprada pelo pai de sua melhor amiga de infância, quando tinha apenas 12 anos de idade. A violência aconteceu enquanto a atriz dormia na casa da coleguinha após seu aniversário.

     O relato foi divulgado à revista Cláudia, durante entrevista e divulgado nesta terça-feira  (21), no perfil de Karen. De acordo com a artista, o que a motivou reviver as memórias e falar sobre o assunto foi ter se reencontrado com seu agressor recentemente. As memórias dolorosas foram faladas com intuito de ajudar outras mulheres que passaram ou passam por isso.

    “Era aniversário da minha melhor amiga e acabei passando a noite na casa dela. Eu me lembro de cada detalhe. Estávamos juntas, lado a lado, dormindo na mesma cama. Era tarde da noite, usávamos o mesmo pijama branco estampado com palhacinhos vermelhos. Foi quando meu sono foi interrompido pelo pai dela. Naquele instante meu mundo parou. Eu congelei e sequer consegui abrir os olhos ou a boca para gritar”, revelou a atriz.

    Encorajamento feminino

    No caso o que mais impressionou a vítima foi o fato do abusador não temer ela dormir ao lado da filha dele. Karen decidiu se manifestar como um ato de incentivo para que nenhuma pessoa permaneça em silêncio. Nem artista, nem tão pouco anônimos. A maior motivação é que as pessoas contem suas histórias e que fale mais sobre o assunto. Em seu perfil, ela se pronunciou dizendo:

    “São tempos difíceis e a violência e o abuso contra mulheres, meninas e crianças não podem mais ficar impunes e silenciados. Meu objetivo é encorajar, motivar a não se calarem. Denunciem! Quantas mulheres já conheceram com uma história parecida? Precisamos repensar as estruturas em que fomos criados, os preconceitos e as culturas destrutivas. Só quem passou por isso sabe a importância do poder que a fala tem nesse lugar de dor. Juntas somos melhores e podemos influenciar a cura coletiva e cessar abusos contra a mulher, seja no trabalho, em casa ou qualquer lugar. Não podemos mais nos silenciar. Que possamos percorrer nosso caminho sem que nos corrompam, nos violem. Este dia está sendo transformador em minha vida. Me sinto caminhando para um horizonte ao ar livre com muitas possibilidades pela frente”, declarou a artista. 

    Leia Mais:

    Amazonense monta a própria "Kombi Home"para viajar pelo mundo

    Rota dos Chefs ocorre no fim de semana em versão delivery

    In Cena promove live com bailarina cadeirante de Alagoas

    Veja também