Fonte: OpenWeather

    Lutador amazonense


    'Índio Brabo' quer mostrar para o mundo a força do amazonense na luta

    Lutador esteve bem perto de lutar pelo Ultimate Fighting Championship (UFC) e agora é um dos destaques do Brave

    Erick "Índio Brabo" da Silva | Foto: Divulgação

    Manaus - Erick "Índio Brabo" da Silva esteve bem perto de lutar pelo Ultimate Fighting Championship (UFC). Ainda em 2015, o atleta participou da quarta temporada do The Ultimate Fighter Brazil (TUF). O evento daria ao campeão uma vaga no Ultimate, mas o lutador acabou eliminado por Joaquim Silva, em decisão unanime dos juízes.

    Após a experiência no TUF, Erick partiu para outros eventos. Ele passou pelo Aspera, pelo Mr. Cage e pelo Shooto Brasil até chegar ao Brave CF, participando das edições 5, 9, 13 e 16 do evento, vencendo Brian Hooi e Erik Carlsso, além de ter perdido para Abdul-Kareem Al-Selwady e Guram Kutateladze.

    Erick já participou das edições 5, 9, 13 e 16 do Brave FC
    Erick já participou das edições 5, 9, 13 e 16 do Brave FC | Foto: Divulgação

    Preparação do atleta

    A preparação de um atleta é essencial para esportes de alto rendimento, para que atue no nível que os torneios exigem. No caso de "Índio Brabo", o período de treinos é intermitente. 

    "Como atleta de alto nível, estou sempre treinando, independente de ter luta marcada ou não. Estou sempre fortalecendo meus pontos fortes e evoluindo em meus pontos fracos, então busco a evolução como atleta", revelou Silva.

    A próxima luta de Erick já está sendo traçada. "Minha próxima luta irá ser contra um atleta Russo. Já estou assistindo algumas lutas antigas dele, com a minha equipe, o Team Kaobon, montando uma boa estratégia para o combate, possibilitando minha melhor preparação", disse o lutador.

    Em 2015, Erick participou do TUF
    Em 2015, Erick participou do TUF | Foto: Divulgação

    Motivações

    O sucesso motiva todo atleta, seja ele amador ou profissional. E o caso de Erick não é diferente. "Quando entro no octógono, eu almejo sempre a vitória e me dedico muito para fazer um bom combate, então meu sentimento vai ser sempre de vencer, independente do rival", comentou.

    Recém-chegado ao Brave, tendo feito apenas 4 lutas pela organização, o atleta já se sente a vontade na nova casa. "Eu posso me considerar um veterano no Brave, apesar de ser um evento novo, pois estou indo pra minha quinta luta. O Brave sempre me deu boas oportunidades para eu mostrar meu trabalho dentro do cage", explicou Silva.

    Boas atuações sempre são o objetivo de Erick. Com uma deles, o atleta abriu as portas para o atual evento que luta. "Assinei o contrato com Brave Cf logo após ganhar uma luta no Shooto Brasil, contra Jeremias Henrique. Após uma boa atuação, foi quando surgiu o contato e a oportunidade de lutar pelo Brave", revelou Índio Brabo. 

    O representante do Amazonas se prepara para a quinta luta no Brave
    O representante do Amazonas se prepara para a quinta luta no Brave | Foto: Divulgação

    Começo na luta

    O amazonense hoje vive na Inglaterra, mas não esqueceu de suas raízes, ainda em solo amazonense. "Comecei treinando Jiu-jitsu em Manaus, ainda aos 12 anos de idade. A minha estreia no MMA ocorreu em 2007. Hoje, apesar de já estar com 30 anos, não penso em parar agora. Sou grato a esse esporte, que fez eu conhecer o mundo. Hoje, graças a luta, moro na Inglaterra e sou muito feliz por todas minhas conquistas no MMA", pontuou.

    "Quando estou em Manaus treino na equipe Cosme Júnior Team. Graças à luta, já visitei países como Índia, Argentina, Dubai, Bahrain, EUA, Irlanda. Hoje, moro em Liverpool e treino na Team Kaboom, que possui como seus principais atletas Darren Till e Mike Grundy, ambos do UFC", explica Erick.

    Atualmente, Índio mora na Inglaterra
    Atualmente, Índio mora na Inglaterra | Foto: Divulgação

    Sonhos

    Ultimate Fighting Championschip e Bellator são um dos maiores eventos de luta atualmente. Apesar disso, o lutador não tem ambição em atuar nessas competições. "Hoje, estou feliz em ser atleta do Brave CF. Eu realmente só quero lutar e vencer as minhas lutas, independente do evento que estiver", explicou o atleta.

    A luta proporciona bons e maus momentos aos lutadores, seja na vitória ou na derrota, na conquista de um cinturão ou em uma sequência de derrotas, com os atletas precisando manter a cabeça no lugar. Para o lutador, mesmo com tudo isso, ele se sente feliz.

    São 12 anos de carreira, pois comecei a lutar em MMA em 2007. Então, claro, eu já puder viver momentos incríveis nesses anos de carreira, que hoje me permite dizer que sou um cara de sonho realizado com relação ao esporte", comentou da Silva.

    As lesões fazem parte de uma modalidade esportiva de alto nível, por conta de todos os sacrifícios que o esporte exige, e claro que elas assustam o lutador. "Atualmente, meu único medo que ainda tenho é o de me lesionar e não poder mais lutar, de exercer minha profissão, isso sim é o que tenho medo", disse Erick.

    Erick "Índio Brabo" da Silva
    Erick "Índio Brabo" da Silva | Foto: Divulgação

    Ter com quem contar sempre ajuda na motivação, algo que não foi diferente com ele. "Eu quero agradecer a todos que torcem por mim, tenho muito orgulho de ser amazonense e poder mostrar para o mundo que somos fortes. Atualmente, meu recorde é 22 vitórias e 6 derrotas, que foi motivado por todos que me apoiam", finalizou.