Fonte: OpenWeather

    Natação


    Feras da natação de águas abertas vão brigar pelo Rio Negro Champions

    As atletas olímpicas vão encarar no dia 8 de dezembro o Rio Negro Champions, em Manaus

    Foram cinco vitórias em etapas do FINA Marathon Swim Series | Foto: Divulgação

    Manaus- O mais extenso rio de água negra do mundo vai ficar ‘pequeno’ para receber duas grandes potências da natação de águas abertas. Trata-se da tetracampeã mundial dos 25km, a brasileira Ana Marcela Cunha, e a bicampeã mundial nos 10km, a francesa Aurélie Muller. As atletas olímpicas vão encarar no dia 8 de dezembro o Rio Negro Champions, prova do Rio Negro Challenge de 8,5km, com largada e chegada na Ponta Negra.

    Eleita pela revista norte-americana Swimming World de forma inédita como a melhor do mundo (2019), Ana Marcela vem a Manaus pela sexta vez. Ela é tricampeã da Travessia Almirante Tamandaré, pela categoria geral, vencendo nos anos 2005, 2006 e 2007.

    Ano passado, a baiana disputou e inaugurou a Rio Negro Champions, enfrentando a holandesa e campeã olímpica, Sharon van Rouwendaal. A brasileira protagonizou uma batalha de tirar o fôlego e ficou em segundo lugar com a diferença de apenas um segundo, cravando em 2h08min08seg.

    “Foi uma prova totalmente diferente. Sou acostumada a nadar no vácuo e tive que vir puxando o tempo todo, me impondo. O mais legal, é que numa disputa entre uma campeã olímpica e uma mundial, o resultado vem de uma batida de mão, ou seja, prova bem disputada”, disse Ana Marcela, que este ano poderá refazer o percurso e conquistar a medalha de ouro. No que depender dos ‘bons ventos’ que vem acompanhando Ana Marcela em 2019, essa será mais uma medalha para a coleção.

    Neste ano, foram cinco vitórias em etapas do FINA Marathon Swim Series para Ana, sendo duas medalhas de ouro no Mundial de Gwangju (25km e 5km) e a classificação olímpica nos 10km para os Jogos de Tóquio. A brasileira também foi a primeira do país a ganhar o ouro das águas abertas nos Jogos Pan Americanos, nos Jogos Mundiais de Praia e nos Jogos Mundiais Militares.

    Além disso, a atleta está entre os finalistas para o Prêmio Brasil Olímpico (PBO), a maior premiação do esporte brasileiro. A nadadora já venceu a premiação em duas oportunidades: em 2015 e no ano passado. Em sua modalidade, ela levou o prêmio oito vezes.

    “Que felicidade mais uma vez ser indicada como finalista do PBO, o oscar do esporte brasileiro. Parabéns a todos os atletas de todas as modalidades e em especial as meninas. Tenho orgulho em levar a nossa bandeira para todos os cantos desse mundo”, disse Ana.

    *Com informações da assessoria