Fonte: OpenWeather

    Derrota em casa


    Fast Clube luta, mas acaba eliminado pelo Goiás na Copa do Brasil

    Equipe amazonense jogou o primeiro tempo de igual para igual com o Goiás, mas acabou eliminado com dois gols na segunda etapa

    Equipe amazonense agora volta a atenção para o Campeonato Amazonense | Foto: Divulgação/João Normando

    Manaus - A estreia dos times amazonenses em competições nacionais aconteceu na noite de ontem (5), quando o Fast Clube enfrentou o Goiás, em partida válida pela Copa do Brasil. Na Arena da Amazônia Vivaldo Lima, no bairro Flores, Zona Centro-Sul de Manaus, 1.241 torcedores viram o tricolor amazonense perder por 2 a 0 e ser eliminado da competição. Daniel Bessa e Marcinho marcaram os gols da classificação no segundo tempo.

    Após vencer o clássico contra o Nacional, em partida válida pela 4ª rodada do Campeonato Amazonense, o time comandado por Wladimir Araújo entrou em campo em um duelo tido como “Davi contra Golias”. Mesmo jogando bem nos primeiros 45 minutos, o Fast acabou derrotado por 2 a 0, com gols em jogadas similares pelo lado direito da defesa.

    Agora, o Rolo Compressor volta suas atenções para o “Barezão 2020”, onde enfrenta o Princesa do Solimões, no estádio Gilberto Mestrinho, o “Gilbertão”, em Manacapuru (município a 68 km de Manaus). O pontapé inicial está previsto para as 17h, em partida que encerra a 5ª rodada, no domingo (9).

    O jogo

    O Fast teve um começo de jogo animador, com boa compactação defensiva e jogou de igual para igual com o Goiás. O time de Ney Franco, embora não conseguisse criar situações de gol, também não era muito incomodado, já que neutralizava facilmente as investidas do tricolor, que geralmente eram com Ray e Léo Mineiro.

    Sem espaços para os dois lados, a primeira finalização foi aos oito minutos, com Thalles, do Goiás, que arriscou de fora da área, mas o chute não passou nem perto do gol. O Fast não conseguia conectar contra-ataques, tampouco manter a bola no setor ofensivo, com sucessivos passes errados. As únicas chances criadas foram em bola parada.

    A partida foi de muita disputa pelo meio de campo. O técnico Wladimir Araújo armou os 11 jogadores do tricolor amazonense atrás da linha do meio de campo. A primeira boa chance dos donos da casa veio com o zagueiro Juninho Caliari, que encheu o pé em cobrança de falta, para a defesa de Tadeu, aos 25 minutos.

    O volante Dadá e o lateral esquerdo Ítalo foram os principais destaques do Fast no primeiro tempo. O Goiás fez um primeiro tempo sem criatividade. Rafael Moura e Lucão formaram um ataque pouco dinâmico, o que contribuiu para a defesa do Rolo Compressor segurar o empate em 0 a 0.

    | Foto: Edmar Barros/Futura Press

    Segundo tempo

    Os dois times voltaram com mudanças para o segundo tempo. Pelo Goiás, entraram Pintado e Marcinho. Já pelo Fast, Paulinho entrou no lugar de Luizão ainda no intervalo. Já de início, a diferença de postura nos dois times era clara. Logo na primeira chegada, o atacante Lucão escapou pelo lado esquerdo, tentou o cruzamento e, contando com desvio da marcação, levou perigo ao gol de Rangel.

    Aos cinco minutos, o Goiás saiu em velocidade, com Rafael Moura, que entrou livre na grande área, pelo lado esquerdo. Na finalização, o “He-Man” parou em mais uma grande defesa de Rangel e quando marcou foi em posição irregular. O Fast até tentava sair com contra-ataques, se arriscando mais do que na primeira etapa, mas pagou caro pelos passes errados.

    Daniel Bessa foi quem colocou os visitantes na frente do placar, aos sete minutos da etapa complementar. Após erro na transição ofensiva, o Fast ficou com a defesa totalmente desarrumada e o volante Gilberto achou um ótimo passe para Thalles, pelo lado direito. O meia do Goiás avançou em velocidade e cruzou para Bessa, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo do gol: Fast 0 x 1 Goiás.

    Precisando virar o jogo, o time de Wladimir Araújo tentou responder imediatamente, em jogada rápida pelo lado esquerdo. Ítalo cruzou rasteiro para dentro da pequena área, aos 9 minutos, mas não encontrou ninguém do ataque para completar a jogada e a defesa do Goiás afastou. Já aos 15 minutos, o goleiro Tadeu salvou o empate do tricolor amazonense.

    Ramon, que havia acabado de entrar no lugar de Léo Mineiro, achou ótimo passe em profundidade para Ray, que cruzou rasteiro para trás e encontrou Sarôa. O meio campista teve tempo de dominar, antes de acertar um chute forte no gol de Tadeu, que apareceu bem e mandou para escanteio.

    Com a vantagem do empate e um gol à frente do adversário, o Goiás se protegia bem e tentava sair em contra-ataques. No entanto, não acertava o “último passe” e seguia aproveitando mal os espaços deixados pelo Fast, que se lançava à frente em busca de um gol para dar esperança no jogo.

    O esmeraldino do Centro-Oeste teve chance de ampliar o placar aos 38 minutos da etapa complementar, mas Marcinho parou nas mãos do goleiro Rangel. Sem sorte na primeira tentativa, Marcinho contou com passe de Thalles, que recebeu ótimo lançamento pelo alto. O meia tocou para dentro da pequena área e Marcinho empurrou para ampliar o placar: 2 a 0 para o Goiás.

    Com o final de jogo, o Fast Clube foi eliminado da Copa do Brasil e o Goiás avança para enfrentar o Santo André. O time do interior paulista avançou para a segunda fase após vencer o Criciúma pelo placar de 4 a 1. O time de Wladimir Araújo volta suas atenções para o “Barezão 2020”, onde encara o Princesa do Solimões, fora de casa.