Muda Manaus


Mais de 500 pessoas participam de atividades do ‘Muda Manaus'

Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar) promoveu atividades esportivas e de lazer nos três dias do ‘Muda Manaus’

 Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar) atendeu cerca de 500 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos, com atividades esportivas e de lazer
Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar) atendeu cerca de 500 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos, com atividades esportivas e de lazer | Foto: Mauro Neto

Manaus - Como parte da 2ª edição do programa “Muda Manaus”, do Governo do Estado, realizada de 6 a 8 de fevereiro, no Centro de Ensino de Tempo Integral (Ceti) Elisa Bessa Freire, bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus, a Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar) atendeu cerca de 500 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos, com atividades esportivas e de lazer. Na manhã deste sábado (8) aconteceram as finais do minitorneio de futebol de campo e torneio de futebol feminino.

Durante os três dias de ação, 28 times de projetos sociais participaram das competições de futebol, realizadas no campo da escola. Também aconteceram aulas de ritmos, como boi e zumba e aulas de hidroginástica. A Faar realizou, ainda, a exposição dos Jogos Inter-Geracionais Sustentáveis da Amazônia, projeto em parceria com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) que confecciona jogos didáticos com madeiras de demolição e sementes da floresta.

Durante os três dias de ação, 28 times de projetos sociais participaram das competições de futebol, realizadas no campo do Centro de Ensino de Tempo Integral (Ceti) Elisa Bessa Freire
Durante os três dias de ação, 28 times de projetos sociais participaram das competições de futebol, realizadas no campo do Centro de Ensino de Tempo Integral (Ceti) Elisa Bessa Freire | Foto: Mauro Neto

Um dos destaques do futebol foi o projeto Ágape, do conjunto Viver Melhor II. O projeto, que atende mais de 220 pessoas, participou com sete equipes, o que resultou em seis ouros. Eles foram campeões nas categorias Sub-9, sub-11, Sub-13, sub-15, Sub-17 e também conquistaram o título do feminino.

O pequeno Samuel da Silva Mota, de 11 anos, foi um dos que chamaram atenção pela habilidade com a bola nos pés. Foi ele quem fez os gols de pênaltis que consolidou os títulos do sub-9 e sub-11 das suas equipes. O promissor atleta falou sobre a experiência proporcionada pelo Muda Manaus.

“Eu estou bastante feliz. Gosto muito de jogar futebol e costumo jogar em quadras e hoje foi bem legal. Ganhamos na minha categoria, que é até 11 anos, e puder ser reforço do sub-9, onde também fomos felizes com a vitória. Volto para casa com duas medalhas de ouro, isso é muito bom” contou.

Na manhã deste sábado (8) aconteceram as finais do minitorneio de futebol de campo e torneio de futebol feminino
Na manhã deste sábado (8) aconteceram as finais do minitorneio de futebol de campo e torneio de futebol feminino | Foto: Mauro Neto

A coordenadora do projeto, Joelma Oliveira, que faz o papel de técnica de todas equipes quando estão em campo, avaliou de forma positiva a iniciativa do governo de levar o programa “Muda Manaus” para bairros como o Jorge Teixeira.

“Esse programa é de suma importância para a sociedade amazonense. Todo o Brasil vive um número crescente na criminalidade e os jovens precisam de oportunidades. Nós, com os projetos sociais, fazemos nossa parte no resgate deles, porém ações e movimentos iguais a esse programa, são ajudas imensurável” explicou.

O diretor-presidente da Faar, Caio André de Oliveira, esteve acompanhando as partidas e premiou os campeões. Ele frisou a importância na promoção do esporte comunitário. “A importância de projetos como o 'Muda Manaus' é salutar. Pois é do desporto comunitário que surgem grandes atletas campeões. O mais importante ainda é o esporte sendo levado para uma região tão populosa e que tem uma estrutura esportiva limitada”, contou.

Caio André enfatizou, ainda, a importância do esporte na formação do cidadão. “O esporte é, sem dúvida, uma grande ferramenta de transformação. O esporte ajuda a educar, ajuda a enfrentar os grandes desafios da vida e principalmente a disciplinar".

Jogos Intergeracionais Sustentáveis da Amazônia 

São jogos que trabalham a habilidade cognitiva, atenção, concentração, e principalmente a interação entre os participantes. Realizados em parceria com a Universidade Estadual do Aamazonas (UEA), são confeccionados a partir de madeiras de demolição e têm como principal peça o caroço de tucumã. Na exposição estavam os jogos: Escapulate Amazônico, Bamboleio, Jogos Inversão e o Quinze.

A professora Flora Machado, idealizadora dos jogos, falou sobre a recepção do público quanto aos jogos e do seu principal objetivo. “Foi sensacional a interação com as pessoas, elas ficavam surpreendidas. São jogos que participam pessoas de todas as idades, por isso chamamos de intergeracionais, mas esses jogos nasceram com o objetivo de respeitar o meio ambiente, além da integração das pessoas diante de uma vida tão virtual”.

*Com informações da assessoria.