Fonte: OpenWeather

    Barezão 2020


    Manaus goleia Amazonas por 4 a 1 e conquista o 1º turno do Barezão

    Manaus FC goleia Amazonas FC por 4 a 1 e conquista o título do 1º turno do Barezão 2020

     

    Manaus FC goleia Amazonas para conquistar o título do 1º turno do Barezão
    Manaus FC goleia Amazonas para conquistar o título do 1º turno do Barezão | Foto: Divulgação/ Manaus FC

    Manaus - Na final inédita do 1º turno do Barezão 2020, entre Amazonas e Manaus FC, o time de Ricardo Lecheva até tentou, mas o Gavião do Norte anotou 4 a 1 para confirmar a vaga na final do Campeonato Amazonense com o título invicto.

    Com o maior público deste 1º turno, Thiago Spice, Janeudo, Matheus Oliveira e Gilson Alves marcaram (e Maikon Leite descontou) jogando em frente a 5.447 pessoas.

    O "artilheiro dos gols importantes", Matheus Oliveira comentou sobre o sentimento de levantar mais uma taça com a camisa esmeraldina e por fazer parte desse momento decisivo.

    "De todos os times que passei, o Manaus é o que menos fiz gols, mas é o que me sinto mais feliz. Deus sempre me abençoou com gols importantes, assim como foi contra o Caxias. O sentimento é de alívio. Falaram que o Amazonas iria atropelar, empatamos jogos que falaram que jogamos mal, mas uma hora iríamos jogar bem e aconteceu o que aconteceu", disse o artilheiro.

    O técnico Ricardo Lecheva, do Amazonas FC, reclamou de decisões da arbitragem que, segundo ele, influenciaram no resultado. No entanto, valoriza o caminho percorrido pela equipe em apenas 9 meses desde a fundação.

    "O fator determinante para o resultado foi o pênalti não marcado no Raphinha, enquanto estava 2 a 1. Desde então, ficamos expostos e acabamos sofrendo gols. Sentimos falta do Daivison e do Maikon Leite em plenas condições físicas, mas o mérito é da equipe do Manaus e a derrota não apaga o que fizemos até aqui", afirmou o comandante auri-negro.

    O jogo

    No começo da partida, as duas equipes investiram na intensidade da marcação e o equilíbrio prevaleceu. Panda, Derlan e Janeudo conseguiam neutralizar bem as movimentações de Diego Torres e Pelezinho, minando a criatividade adversária.

    Sem Daivison, suspenso após expulsão contra o Nacional FC, nas semifinais, o auri-negro não soube manter a bola no campo de ataque e, quando o fez, pecava na finalização. 

    Como quem não quer nada, o Manaus FC aproveitou uma das únicas chances que teve na primeira etapa para abrir o placar, aos 25 minutos.

    O lateral direito Igor mandou a bola para a área e Spice subiu sem marcação, de frente para o gol, e mandou de cabeça para o fundo das redes: 1 a 0 para o Gavião do Norte.

    Vitinho, Pelezinho e Dênis Pedra eram os jogadores que mais buscavam o jogo, mas não conseguiam conectar passes objetivos para criar situações de gol.

    Na primeira etapa, o time comandado por Ricardo Lecheva teve suas maiores chances em bolas finalizadas por cima do gol, sem muito susto.

    Segundo tempo

    Com a vantagem do empate para ser campeão, o Amazonas voltou para a etapa complementar disposto a igualar o placar. Colocou todo o time no campo de ataque, mas novamente não finalizava.

    O balde de água fria na reação da Onça Pintada veio aos 15 minutos, quando Janeudo finalizou de primeira, em ótima triangulação na entrada da área.

    Após o cruzamento do lado esquerdo, Matheus Oliveira deixou a bola passar por entre as pernas e Janeudo, e de perna esquerda mandou no canto esquerdo de Oliveira para ampliar: 2 a 0 para o Manaus.

    Sem perder tempo, Lecheva colocou Maikon Leite no jogo e, em sua primeira participação, o camisa número 7 mandou a bola no ângulo para diminuir a vantagem, aos 19 minutos: ainda 2 a 1 para o Manaus.

    Por mais que tivesse o domínio da posse de bola, o Amazonas não pressionava o suficiente para sufocar o adversário e, com o time aberto, acabou sofrendo com os contra-ataques.

    Primeiro com Matheus Oliveira, depois com Gilson Alves, o Gavião do Norte sacramentou a vitória por 4 a 1. O camisa 99 completou chute cruzado de Igor e Gilson tocou por cima do goleiro, cara a cara, dando números finais à partida.

    No lance do terceiro gol, o artilheiro com camisa 99 sentiu um desconforto na parte posterior da coxa esquerda e preocupa para a sequência do time, que volta à campo na próxima quarta-feira (4), contra o Brasil de Pelotas, pela Copa do Brasil.