Fonte: OpenWeather

    Tufão da Colina


    São Raimundo aposta na base para se reerguer na elite do Estadual 2021

    Clube é o mais novos dos times centenários do Amazonas e foi o primeiro amazonense a participar de um torneio internacional oficialmente, conquistando o terceiro lugar em 1999

    O Tufão da Colina foi recém-promovido de volta à Séria A do Barezão | Foto: Divulgação

    Manaus - Com 101 anos, o São Raimundo Esporte Clube foi fundado em 1918. O clube é o mais novo dos três centenários no Amazonas e completa aniversário no dia 18 de novembro. As tradicionais cores azul royal com branco estampam o uniforme do time heptacampeão Estadual e o primeiro amazonense a participar de um torneio internacional oficialmente.

    Da derrota para o CSA (AL), na semifinal da Copa Conmebol de 1999 - que deixou o Tufão na terceira posição no torneio - para os dias de hoje, certamente muita coisa mudou. Para o Barezão 2020, sem expectativas muito altas, o time ainda foi duramente criticado por parte da torcida. O time terminou o Estadual na 6ª colocação geral, atrás de Amazonas, Manaus, Penarol, Fast e Nacional, nesta ordem.

    "A temporada foi bem melhor do que imaginávamos. Apesar de termos brigado contra o rebaixamento, antes da parada do campeonato conseguimos uma vitória importante, que seria importante tanto contra o rebaixamento, quanto para a classificação para as semifinais. Foi bem melhor porque sabemos das dificuldades que o clube passa, mas vamos conseguir fazer um trabalho de soerguimento", garante Cícero Júnior, representante do clube e das categorias de base.

    O clube centenário tem sede na Zona Oeste de Manaus
    O clube centenário tem sede na Zona Oeste de Manaus | Foto: Divulgação

    À frente das divisões de formação de atletas desde 2017, juntamente com o ídolo alviceleste, Delmo, Cícero revela que o São Raimundo vem fazendo um trabalho focado na formação de atletas profissionais para o clube, acima de  tudo. Esse é um dos principais passos para a reestruturação de um dos clubes da região Norte de maior renome no cenário esportivo moderno. Apesar de parecer óbvio, não é o caminho utilizado pela maioria dos times.

    "Em 2018 começamos disputar todas as competições federadas, do Sub-11 até Sub-21. Não focamos muito em títulos em 2018, mais na reorganização da base. Continuamos em 2019, sendo campeões sub-17 e sub-21. A proposta é de continuidade, porque o trabalho com a base é o que reergue o clube. As equipes sub-19, que disputa o Amazonense e Sub-17, que vai jogar a Copa do Brasil, estão formadas, mas as demais categorias farão seletivas quando as atividades retornarem", conta Cícero.

    Para os planos futuros do Tufão, o dirigente indica que o foco deve ser na continuidade dos trabalhos de formação, com a mesma base que disputou o Barezão 2020 disponível para voltar a campo com a camisa alviceleste. As expectativas, portanto, seguem na luta contra o rebaixamento. "A proposta é manter a base de 2020, conforme reorganização do calendário, e ano que vem voltar na série A e tentar fazer um campeonato que não resulte no rebaixamento", revela Cícero Jr.