Fonte: OpenWeather

    Amazonas FC


    Amazonas FC marca golaço com doação de 1 mil cestas básicas e EPIs

    Ação faz parte das comemorações pelo primeiro aniversário do clube fundado em 23 de maio

    | Foto: Leonardo Mota

    Manaus - Fundado em 23 de maio de 2019, o Amazonas Futebol Clube (FC) completa 1 ano de vida neste sábado (23) - data em que promove, por meio das redes sociais, uma campanha de solidariedade à sociedade amazonense e aos profissionais de saúde. O clube arrecadou cestas básicas e máscaras. A Onça-Pintada da Zona Leste é atual campeã da Série B do Estadual e já na temporada de estreia na elite do futebol regional chegou à final do 1º turno. O primeiro aniversário foi celebrado com pacote de ações.

    Ao longo da semana, que antecedeu a data comemorativa, o clube iniciou a campanha “Comemorar a vida é o nosso maior gol”, recolhendo alimentos para instituições de caridade e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), para distribuição aos profissionais da área da saúde. Segundo o diretor do clube, Lissandro Breval, a campanha teve números expressivos.

    "Resolvemos fazer a campanha para levar uma mensagem de esperança. Já temos mais de mil cestas básicas, mais de cinco mil máscaras e mais de dois mil litros de álcool em gel arrecadados, então a gente está fazendo esse trabalho de 'formiguinha' e levando uma corrente do bem para quem está precisando nesse momento. É uma pequena colaboração do nosso time", afirma o diretor.

    Vídeo 1:

    Vídeo de divulgação do Amazonas FC sobre a live, em comemoração ao aniversário do clube, no sábado (23) | Autor: Divulgação/ Amazonas FC
     

    Com uma ascensão veloz e contratações "de peso" para a temporada de 2020, o Amazonas FC rapidamente chamou a atenção não só pelo bom futebol apresentado dentro das quatro linhas, mas também pela grande adesão da torcida. Da Zona Leste de Manaus, o clube se propõe a resgatar a paixão do amazonense pelo futebol local.

    Para Thiago Rosas, de 25 anos, que está à frente da Torcida Jovem Amazonas FC desde fevereiro de 2020, a identificação do nome e do mascote são fatores determinantes para atrair o público. Ele acompanhou o time pela primeira vez na "Segundinha de 2019" e rapidamente a visão ambiciosa do clube o conquistou.

    "Antes, eu torcia para um time de fora do Estado e já tinha ido assistir alguns jogos daqui, mas nenhum clube me chamava a atenção. Hoje, o Amazonas é como um membro da família, fico chateado nos dias que não tem jogo. É nossa válvula de escape, quando, no momento do gol, esquecemos todos os problemas cotidianos e simplesmente vivemos o Amazonas Futebol Clube", revela o torcedor.

    Thiago Rosas, presidente da Torcida Jovem Amazonas FC, fundada em 5 de fevereiro de 2020
    Thiago Rosas, presidente da Torcida Jovem Amazonas FC, fundada em 5 de fevereiro de 2020 | Foto: Reprodução/ Acervo pessoal

    O acesso

    No ano de fundação, o Amazonas FC disputou a Série B do Campeonato Amazonense. Assim como o rival Manaus FC em 2013, venceu o torneio de forma invicta para garantir o acesso à elite do futebol regional. A campanha, que contou com três vitórias, um empate, 12 gols marcados e um sofrido, terminou com uma vitória por 3 a 1 sobre o São Raimundo (Tufão da Colina).

    O zagueiro Bernardo Benjamin, de 30 anos, é um dos 13 jogadores que permaneceram no clube para o Estadual de 2020 após o acesso. Ele, que é atual capitão e passou por Ypiranga (AP) e Tocantinópolis (TO) antes de chegar ao aurinegro, destaca a vitória na final como o momento mais marcante e revela o segredo do sucesso no setor defensivo.

    "Sem dúvidas o momento mais marcante foi ser campeão ano passado, títulos marcam o nome dos jogadores na história do clube. O sucesso do setor defensivo é mais mérito do coletivo e do esquema tático que o [Ricardo] Lecheva implanta. Ele geralmente cobra muita comunicação entre os setores e isso começa lá de trás. A marcação começa dos atacantes e facilita muito pra gente", destaca o zagueiro.

    View this post on Instagram

    Campeão Série B Amazonense!! Gratidão 🙏⚽

    A post shared by Bernardo Benjamin (@bernardobenjamin) on

    Dupla frequente (e de sucesso até agora) com Rubran na zaga, o capitão esteve presente em todas as partidas que o Amazonas disputou até à paralisação pelo coronavírus e, segundo ele, desde o início já era possível prever que o "caçula Baré" brigaria pela liderança do Campeonato Amazonense.

    "Desde o início a confiança foi total, principalmente pela qualidade dos jogadores. Quando chegamos, sentimos a seriedade da diretoria e tudo isso foi fundamental pra acreditar que esse ano chegaríamos nas finais do campeonato. Do ponto de vista pessoal, foi uma honra levantar o primeiro troféu do clube e estar em campo em todos os minutos jogados na história", afirma o paraense Bernardo.

    Rubran Siqueira, de 31 anos,  revela que mantém a sintonia com o parceiro de zaga dentro e fora dos campos. "A final da segunda divisão e nossa estreia na primeira foram dois momentos importantes pra quem esteve desde do início do projeto", comenta ele, sobre a passagem pelo aurinegro até o momento.

    Segundo o defensor, a grande fase que a dupla de zaga tem é resultado de um processo de continuidade, que começou desde a definição do elenco pela diretoria e a comissão técnica, escolhendo jogadores "de qualidade e comprometidos com o clube". 

    "Essa evolução tem a ver com o organização e comprometimento de todos que estavam envolvidos: diretoria, comissão, atletas e funcionários. Fizemos vários jogos sem levar gols, nossa equipe era muito ofensiva e tínhamos que ter todo o cuidado na parte defensiva pra não ser surpreendidos. O conjunto faz total na diferença, os atletas tinham a consciência que tínhamos quer ter uma defesa sólida. Trabalho, comprometimento e muita comunicação dentro de campo fazem a diferença", afirma ele.

    Barezão 2020

    De olho na temporada 2020, a Onça-Pintada renovou com o técnico Ricardo Lecheva e outros 13 atletas que participaram da campanha do acesso. Para reforçar o time e conseguir o tão sonhado calendário anual, alguns nomes famosos chegaram na capital, como foram os casos do atacante Maikon Leite e do volante Aírton.

    Volante Aírton, com passagens por Flamengo, Botafogo, Fluminense, Internacional e Benfica (POR), também vestiu a camisa do Amazonas FC
    Volante Aírton, com passagens por Flamengo, Botafogo, Fluminense, Internacional e Benfica (POR), também vestiu a camisa do Amazonas FC | Foto: Divulgação/ Amazonas FC

    Até à final do 1º turno do Estadual, foram 13 jogos sem perder desde a Série B de 2019. O time só não venceu o Nacional FC (2 a 2) e o Manaus FC (1 a 1), conquistando 17 pontos dos 21 possíveis. Ao fim da primeira fase, possuía o melhor ataque e a segunda melhor defesa: 18 gols marcados e quatro sofridos.

    "Nós, jogadores que iniciamos o projeto junto com o professor Lecheva e comissão técnica, sabíamos que o primeiro passo tinha sido dado com o acesso e o título. Sabíamos também que no ano seguinte nós iríamos continuar nosso excelente trabalho, porque sempre acreditamos em nosso grupo de jogadores e naqueles que vieram para reforçar mais ainda o elenco", afirma o lateral direito, Magnum Alves.

    Um dos destaques do time ofensivamente, Magnum rasga elogios para o técnico Ricardo Lecheva e diz que o trabalho fora de jogo é recompensado na hora do apito final. "O segredo da boa fase é o excelente trabalho do Lecheva e da comissão técnica, que nos propõem estar jogando e treinando numa alta intensidade, sempre em busca da vitória", revela.

    "Eu, que faço parte da história do clube, acho maravilhoso acompanhar o crescimento do clube, um projeto que começou grande em estrutura e com pessoas capacitadas na área, dando todo o suporte para nós, jogadores, e estar vivenciando uma história linda como é a do Amazonas é muito gratificante", conclui ele.

    O atacante Wesley Macedo, de 26 anos, foi um dos 22 atletas contratados para a temporada no Barezão 2020. Com três gols marcados em oito partidas com a camisa aurinegra, ele confirma a facilidade na adaptação ao esquema de jogo da Onça-Pintada. "Para um atacante é mais fácil esse estilo de jogo, a todo momento a bola chega em condições boas para finalizar", conta.

    Wesley Macedo, 26, comemorando gol na estreia com a camisa do Amazonas FC, contra o Fast Clube
    Wesley Macedo, 26, comemorando gol na estreia com a camisa do Amazonas FC, contra o Fast Clube | Foto: Marcos Dantas

    Ele destaca a inteligência no setor ofensivo, que obriga os defensores adversários a se desorganizarem. Com o contrato finalizado em abril, ele aguarda um posicionamento da diretoria quanto à permanência para outras competições esportivas, mas não faz um balanço muito positivo sobre a passagem no clube.

    "A minha participação na equipe foi mais ou menos. Ajudei o time, marquei gols, mas uma contusão atrapalhou um pouco o meu rendimento. Meu contrato acabou, agora fica a critério da diretoria, mas eu quero continuar. Tenho um carinho enorme pelo clube e fiquei feliz em fazer parte da história do Amazonas FC", afirma o atacante.

    A polêmica do fim

    Mesmo com a derrota na final do 1º turno para o Gavião do Norte, o Amazonas FC permaneceu no topo da tabela da classificação geral do Barezão 2020 até o dia da suspensão, com 24 pontos conquistados de 30 possíveis. Na reunião para definir a situação do torneio, em 20 de março, o aurinegro esteve junto ao Penarol AC com o voto pelo encerramento, em detrimento do cancelamento.

    View this post on Instagram

    Amazonas FC vota a favor do encerramento do Estadual O Amazonas FC comunica que participou, nesta sexta (20), da reunião com a FAF que culminou na decisão unânime de não retomar o Estadual, por conta do avanço da pandemia do novo Coronavírus. Após priorizar que seus funcionários ficassem em segurança e ao lado de suas famílias durante a crise, o clube esclarece que a decisão de seu voto teve motivação econômica. Primeiro, para focar no que realmente interessa: a segurança dos funcionários, inclusive financeiramente, num cenário repleto de incertezas. Segundo, pela viabilidade do projeto, visto que é financeiramente insustentável seguir diante de uma possível paralisação por tempo indeterminado. Era necessário uma definição, para que o Amazonas e os demais clubes pudessem planejar o final da competição, fosse ela retomada ou não. Esclarecemos que embora todos os clubes tenham votado por não continuar com a competição, houve divergência sobre a forma de encerrar o torneio. O Amazonas votou por homologar o resultado da disputa até aqui, imaginando que com a força do povo brasileiro, o país logo conseguirá contornar este momento difícil, inclusive retomando o futebol, não escondendo o interesse nas vagas em competições nacionais do próximo ano, uma vez que até a paralisação, o clube liderava a classificação geral. Porém, os outros clubes envolvidos na competição, exercendo seu direito democrático, decidiram votar a favor de cancelar a disputa, o que anularia os jogos. Embora discorde, o Amazonas FC ressalta que respeita a manifestação de cada um, assim como respeitará a decisão da FAF, detentora do poder necessário para encerrar a disputa da melhor forma possível. Nossos esforços estão concentrados em resolver todas as questões burocráticas com elenco, comissão técnica e demais funcionários, para que ninguém fique desamparado. Lamentamos que o espetáculo que foi o Campeonato Amazonense de 2020 termine dessa forma, mas também entendemos que os motivos estão além do controle de qualquer um, e torcemos, assim como também fazemos nossa parte, para que essa crise passe logo e que em breve voltemos a nos encontrar. #AvanteOnçaPintada #SomosTodosAmazonas

    A post shared by Amazonas FC (@amazonasfcoficial) on

    Desta forma, além do título, o clube reivindica também o direito de participar da Copa Verde e da Série D do Brasileirão. "É difícil ver que um trabalho bem feito como foi o nosso esse ano seja 'jogado fora'. Fomos líderes da classificação geral boa parte do campeonato. Espero que isso seja levado em consideração na tomada de decisão para determinar os clubes que vão representar o Amazonas nas competições nacionais", diz o capitão Bernardo.

    Apoio das arquibancadas

    Independente das decisões tomadas fora de campo, a certeza é de que o futebol amazonense só tem a ganhar com clubes de grandes aspirações. Nas arquibancadas, o reconhecimento é notável, tanto que o 1º turno de 2020 levou 17. 369 pessoas aos estádios, o que corresponde a 86% do público presente em toda a edição de 2019.

    "É de grande importância para o futebol local. O amazonense merece ter clubes com essa ambição, buscar grandes coisas no cenário do futebol. O Amazonas FC vem com esse pensamento desde da sua fundação, fazer um futebol organizado dentro e fora de campo e buscar grandes conquistas! O torcedor amazonense merece, é um povo apaixonado por futebol", afirma o zagueiro Rubran.

    Vídeo 2:

    Vídeo de divulgação do Amazonas FC sobre a live, em comemoração ao aniversário do clube, no sábado (23) | Autor: Divulgação/ Amazonas FC