Fonte: OpenWeather

    Brasileirão


    Manaus FC e Brusque SC vivem realidades opostas após final da Série D

    Aproximadamente 10 meses após a final da Série D, dificuldades em meio à pandemia da Covid põem Manaus FC e Brusque FC em lados opostos na espera pelo Brasileirão

    Enquanto os casos diminuem e os times voltam aos treinos no Sul, Manaus FC aguarda a CBF
    Enquanto os casos diminuem e os times voltam aos treinos no Sul, Manaus FC aguarda a CBF | Foto: Lucas Silva/ Em Tempo

    Manaus - Aproximadamente dez meses após a final da Série D do Brasileirão, que colocou frente a frente Manaus FC e Brusque (SC), os clubes vivem realidades opostas. Contabilizando 15.573 casos de coronavírus, quase 1/4 dos números na capital amazonense, a cidade do quadricolor sulista já tem até data de retorno do futebol e o time conta as horas da volta aos gramados.

    Em 18 de agosto de 2019, o Brusque FC deixava a Arena da Amazônia com a taça da quarta divisão "debaixo dos braços". Após duplo empate pelo placar de 2 a 2, a definição do campeão foi para as penalidades máximas, diante de 44.896 pessoas. Perfeito da marca da cal, o time catarinense saiu vitorioso por 6 a 5.

    Aproximadamente dez meses depois, a pandemia da Covid-19 deixou os dois clubes em momentos opostos, apesar do retrospecto igualmente favorável. Enquanto o quadricolor retornou aos treinos no gramado em 15 de maio e reestreia no Estadual em 9 de julho, o esmeraldino segue apenas com rumores do retorno da Série C.

    A situação da pandemia no Amazonas, no entanto, não é animadora. De acordo com as atualizações da última sexta-feira (19), são 60.736 casos confirmados de coronavírus e 2.605 mortes oficialmente contabilizadas.

    "Houve uma indicação de que as séries A e B poderiam voltar entre 15 de agosto e, sempre uma semana depois, começam as séries C e D. Então, estamos vendo e torcendo para que retorne o mais rápido possível. Os Estaduais estão voltando gradualmente para finalização, é bom porque já dá uma noção de que as coisas voltarão à normalidade logo, logo", afirma o presidente esmeraldino, Luís Mitoso.

    Após ser o primeiro clube amazonense a avançar de fase no novo formato da Copa do Brasil, com a vitória pelo placar de 1 a 0 sobre o Coritiba, o Gavião do Norte passou a sofrer financeiramente. A suspensão dos torneios e, consequentemente das rendas de público e incentivo dos patrocinadores, deixaram o clube em uma corda bamba.

    Crise financeira

    Com as luzes de emergência ligadas, após corte de 50% no salário dos funcionários, o Manaus FC busca alternativas para arrecadar fundos. A Medida Provisória 984/2020, editada na quinta-feira (18), pode dar um fôlego durante a crise. De acordo com o documento, a venda dos direitos de transmissão das partidas agora fica a cargo do clube mandante. 

    Sendo assim, o esmeraldino pode negociar os nove jogos que tem previstos para disputar na capital com emissoras de telecomunicação e movimentar o caixa. "É também uma maneira de compensar o que perdemos, compensa ao menos uma parte da perda com a venda desses jogos", diz Mitoso.

    Caso a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não sinalize a volta do Campeonato Brasileiro num futuro próximo, o buraco ainda pode ficar mais embaixo. O "oxigênio" do Manaus FC acabou e, sem receitas dos jogos, o clube busca alternativas para arrecadar fundos, como o programa de Sócio Torcedor. Até a sexta-feira (18), eram 448 associados.

    Volta aos treinos

    Após um mês completo de treinos, tanto no Centro de Treinamentos, quanto no estádio Augusto Bauer, os trabalhos do Brusque ainda ocorrem sob restrições para conter o avanço do vírus. Dos 47 testes realizados na comissão técnica e jogadores, em 27 de maio, apenas o volante Emerson Martins testou positivo.

    “Estávamos muito ansiosos, principalmente os atletas que vivenciam isso no dia a dia. Fomos uma das primeiras equipes a voltar a treinar, após a liberação do Estado, com muita responsabilidade e cuidado médico”, afirma em publicação oficial do clube no Instagram, o diretor de futebol, André Rezini.

    Após receber o resultado negativo da contraprova, Emerson já treina normalmente com o plantel. O Estadual tem retorno previsto para o dia 8 de julho e o Brusque entra em campo no dia seguinte. Em Joinville, o quadricolor encara o time da casa pelas quartas de final do Campeonato Catarinense.

    "O foco da preparação é que os atletas estejam na forma física ideal para que, quando os treinos em grupo forem liberados, os jogadores se adaptem o mais rápido possível e, assim, estejam em um nível superior a outros clubes que começaram a treinar depois do quadricolor", afirma o clube.

    Seguindo os rumores acerca da tão esperada estreia na terceira divisão do futebol brasileiro, o Gavião do Norte projeta o retorno aos treinos na primeira semana de julho. "Estamos com 90 dias parados, então por mais que estejamos fazendo ações com os jogadores, a nível de acompanhamento, nunca é igual.  A pré-temporada tem que começar de novo, e jogador nenhum fica parado tanto tempo assim", completa o presidente do Manaus.

    Campeonato Brasileiro

    A CBF não sinaliza nenhuma data para retomar as competições, que estão suspensas desde o dia 15 de março. O Campeonato Catarinense seria o primeiro dos Estaduais a retornar, já que os dados são atenuados no Estado.

    Porém, o Campeonato Carioca surpreendentemente voltou antes, mas como a reunião com os oito clubes da elite do Barezão definiu a interrupção total, o torneio não deve ter mais jogos. "O Estadual foi definido pelos clubes como finalizado, cancelado, não vai retornar, até porque não é decisão dos clubes, então não vejo possibilidade nenhuma", diz o presidente Mitoso.

    Enquanto isso, os clubes seguem na movimentação nos bastidores para fortalecer os respectivos planteis. O volante Rafael Carrilho, de 25 anos, e o centroavante Alison Mira, de 24 anos, foram os primeiros reforços anunciados pelo Gavião do Norte.

    Segundo o presidente do clube, no entanto, ainda há dois nomes na iminência de serem anunciados. Além de um outro goleiro, seguindo a lesão de João Paulo - que, inclusive já está em Manaus - o clube negocia com um atacante que jogue pelas laterais do campo.

    O time catarinense contratou três novos nomes para reforçar o grupo tanto na Copa do Brasil, quanto no Brasileirão. Além do retorno do meia Eliomar, com passagem pelo clube entre 2015 e 2018, foram reveladas as contratações do atacante Fabinho e do lateral-esquerdo Ronaell.

    Como a suspensão das atividades esportivas começou na reta final dos Estaduais, muitos contratos chegaram próximo ao encerramento, então o quadricolor tratou de renová-los. No total, foram cinco anúncios de extensão contratual, principalmente do setor defensivo.

    Retrospecto

    Em 2020, os dois clubes começaram com um ritmo intenso, assim como terminaram a temporada passada. Sob o comando do mineiro Welington Fajardo, o Gavião do Norte sagrou-se campeão inédito do primeiro turno do Barezão após vitória contra o Amazonas FC.

    Até a interrupção do torneio pelo coronavírus, o Manaus FC havia disputado dez partidas pelo Estadual. Ficou no segundo lugar da classificação geral por critérios de desempate, após encerrar a participação invicto e com a melhor defesa. No total, foram seis vitórias, quatro empates, 17 gols marcados e apenas quatro sofridos.

    O Brusque, comandado pelo técnico Jerson Testoni, tem 74,4% de aproveitamento nas 13 partidas realizadas, contabilizando 23 gols marcados e 11 sofridos. Ganhou, ainda, o título da Recopa Catarinense de 2020. A temporada, até então, parecia favorável para ambos os times na busca do tão sonhado acesso à Série B.