Fonte: OpenWeather

    Campeonato Carioca


    STJD adia jogo do Botafogo, mas Fluminense segue tabela da Ferj

    A decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) adia o jogo do Botafogo em um dia, mas Fluminense segue nova tabela da Federação

    Botafogo e Fluminense voltam aos treinos enquanto aguardam resultados dos testes de Covid-19, mas pedem mais tempo de preparo
    Botafogo e Fluminense voltam aos treinos enquanto aguardam resultados dos testes de Covid-19, mas pedem mais tempo de preparo | Foto: Divulgação/ Twitter @Botafogo

    O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) divulgou, nesta terça-feira (23), a resposta do pedido de liminar de Botafogo e Fluminense, que não queriam atuar na última segunda-feira (22), conforme a tabela do Campeonato Carioca. Os pedidos de adiamento foram deferidos em parte.

    Considerando a atualização da tabela já feita pela Ferj, após o decreto da prefeitura do Rio de Janeiro, a única alteração para a quarta rodada da Taça Rio na Justiça, por enquanto, envolve o Botafogo. Ambos os clubes pedem mais tempo para treinar e para atenuar a situação de saúde pública, decorrente da Covid-19.

    O jogo do alvinegro contra a Cabofriense já havia sido reagendado para o sábado (27), às 17h de Brasília. Acontece que o STJD determinou que a partida seja disputada a partir de domingo (28) - um dia depois do previsto. 

    "Estamos tristes e insatisfeitos , mas não vamos recorrer. Estamos dentro de uma corrida maluca estúpida. Estamos doidos para sair fora dela", disse Carlos Augusto Montenegro, integrante do comitê gestor do Botafogo, após a decisão.

    A quinta rodada do torneio, prevista para o primeiro dia de julho, está confirmada conforme a tabela pré-estabelecida pela Confederação. O jogo do Fluminense contra o Volta Redonda, no Maracanã, já tinha sido transferido para o domingo e a decisão foi mantida pelo Tribunal.

    Inicialmente, os jogos de Fluminense e Botafogo estavam marcados para a última segunda-feira (22). Mas o decreto publicado pelo prefeito Marcelo Crivella proibiu a realização de partidas de futebol, mesmo com portões fechados.