Fonte: OpenWeather

    Superliga


    Flamengo firma parceria com Sesc e técnico Bernardinho para Superliga

    A parceria foi anunciada em nota divulgada pelo Rubro-Negro nesta quarta (15)

    Bernardinho assume projeto de vôlei do Flamengo junto ao Sesc
    Bernardinho assume projeto de vôlei do Flamengo junto ao Sesc | Foto: Marcelo Cortes/ Flamengo

    O Flamengo vai oficializar, nesta quinta-feira (16), a participação da edição 2020/2021 da Superliga Feminina de vôlei em parceria com o Sesc Rio de Janeiro, maior campeão da modalidade. A equipe será dirigida por Bernardinho, bicampeão olímpico maior campeão do torneio.

    A parceria foi anunciada em nota divulgada pelo Rubro-Negro nesta quarta (15). Ela será apresentada na próxima sexta (17), em entrevista coletiva com o técnico e os presidentes do Flamengo, Rodolfo Landim, e do Conselho Regional do Sesc, Antonio Florencio de Queiroz Júnior.

    Até a temporada 2019/2020, o Sesc manteve times competindo nas Superligas Masculina e Feminina. O projeto entre os homens, porém, teve o encerramento anunciado em fevereiro pelo Serviço Social do Comércio (Sesc), antes mesmo de o novo coronavírus (covid-19) chegar ao país.

    A queda nas receitas da entidade, acentuada com a pandemia, fez Bernardinho abrir mão do próprio salário para minimizar o corte nos rendimentos das atletas, segundo o técnico revelou em live do canal Seu Esporte, em maio.

    Fundado em 2003, e oficializado em 2004, o Rio de Janeiro Vôlei Clube é considerado pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) - apesar do CNPJ diferente - um herdeiro do Paraná Vôlei Clube, bicampeão da Superliga.

    À ocasião, a então patrocinadora (Unilever) levou a equipe de Curitiba para a capital fluminense. No Rio, vieram outros 10 títulos nacionais, sendo o último em 2017, já com a parceria do Sesc. Para a CBV, o time carioca é ao todo 12 vezes campeão, sempre com Bernardinho no comando.

    O Flamengo, por sua vez, venceu a Superliga em 2001. A temporada passada, que não terminou devido à pandemia, marcou a volta do Rubro-Negro à elite do torneio após 13 anos.

    A equipe terminou a competição em 10º lugar, escapando da queda à Superliga B na última rodada da primeira fase.O Sesc-RJ ficou em segundo, atrás somente do Dentil Praia Clube, e enfrentaria o Fluminense nas quartas de final se o campeonato não fosse cancelado.