Fonte: OpenWeather

    Olimpíadas


    Vice-presidente do COI defende simplificação dos Jogos de Tóquio

    John Coates afirmou que é necessário reduzir os custos do adiamento dos Jogos

    John Coates chefia a Comissão de Coordenação do COI para os Jogos de Tóquio
    John Coates chefia a Comissão de Coordenação do COI para os Jogos de Tóquio | Foto: Denis Balibouse/Reuters

    Mundo - John Coates, vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), afirmou nesta sexta-feira (24) que Tóquio deve realizar uma edição dos Jogos Olímpicos simplificada no próximo ano, considerando a saúde e a segurança dos atletas como o ponto mais importante no planejamento.

    Coates chefia a Comissão de Coordenação do COI para os Jogos de Tóquio, que foram adiados para 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Na declaração dada ao Daily Telegraph, de Sydney, John Coates afirmou que é necessário reduzir custos. 

    “Precisamos reduzir o impacto do custo do adiamento e simplificar os Jogos para garantir que eles possam ser organizados de maneira eficiente, segura e sustentável neste novo contexto (...) Com um ano pela frente, não há uma imagem clara de qual será a forma dos Jogos simplificados. A situação com a Covid-19, tanto nacional quanto internacional, está mudando constantemente”, declarou.

    Para o vice-presidente, implementar medidas com intuito de enfrentar o novo coronavírus não é tarefa fácil. Entretanto, o dirigente saudou o compromisso do governo japonês, do governo regional de Tóquio e do comitê organizador dos Jogos de realizá-las em alto nível .

    “O COI e nossos parceiros japoneses fazem tudo ao seu alcance para garantir que não apenas que os Jogos sigam em frente no próximo ano, mas que os atletas permaneçam em primeiro lugar em todo o nosso planejamento”, encerrou.

    Na quinta-feira (23), durante a cerimônia que marcou a data de um ano para o início das Olimpíadas 2021, o presidente do Comitê, Thomas Bach, defendeu em nota que é necessário “adaptar os nossos planos para readequar os Jogos à realidade de crise global”, e que o importante “é mantermos o espírito de união que define a nossa missão”. 

    Bach também fez questão de agradecer aos parceiros locais, aos atletas, às federações, aos comitês olímpicos nacionais e demais parceiros.

    Eventos empolgantes

    Apesar das intenções de adaptar os Jogos de Tóquio por conta da pandemia do novo coronavírus, há aqueles que preferem uma grande festa. É o caso de Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador dos Jogos.

    Durante uma entrevista na terça-feira (21), o dirigente afirmou que não aceita a possibilidade de realizar as Olimpíadas com portões fechados e sem a presença de público. Para Mori, o público não deve ser afetado, principalmente em eventos “empolgantes” como as Olimpíadas.

    “Não devemos fazer com que os espectadores passem por tempos difíceis. Eventos esportivos são empolgantes em todo o país”, declarou o presidente à agência de notícias japonesa Kyodo News.

    A declaração de Yoshiro Mori foi dada depois que o presidente do COI, Thomas Bach, afirmou no dia 17 de julho que os Jogos de Tóquio poderiam ter um número menor de espectadores do que eventos anteriores. Segundo o presidente do Comitê Organizador de Tóquio, a declaração de Bach foi realizada ao se “considerar o pior cenário” possível da pandemia.

    Leia Mais

    COI realiza cerimônia que marca um ano para início dos Jogos de Tóquio

    Comitê Organizador não aceita Jogos de Tóquio sem público

    Jogos Olímpicos da Juventude é adiado para 2026