Fonte: OpenWeather

    Natação


    Tradicional Travessia Almirante Tamandaré completa 50 anos

    São 50 anos de aventuras enfrentando os desafios do Rio Negro em uma das provas aquáticas mais tradicional do Brasil

    | Foto: Alcides Netto/Rio Negro Challenge

    Manaus- Nem jacaré, piranha ou qualquer outro animal amedrontam os competidores da prova da Travessia Almirante Tamandaré. Esse ano, a prova completa 50 anos de existência e a data não poderia passar em branco. Como tradição, a competição será realizada com um gostinho de meio século vivido. A prova acontece em 13 de dezembro deste ano, devido à Covid-19, no entanto todas as medidas de prevenção estão sendo tomadas. As inscrições estão abertas no site www.rionegrochallenge.com.br, e as vagas são limitadas.

    Antes, o evento era organizado pela Confederação de Desportos Aquáticos e a Marinha; porém, desde 2016, os responsáveis pela competição são os organizadores do Rio Negro Challenge.

    O ex-nadador Pierre Gadelha, fundador do Challenge, em entrevista ao EM TEMPO, falou sobre a emoção de poder celebrar os 50 anos de uma das primeiras provas de natação do Brasil.

    Em 2019, realizaram uma edição internacional com equipe da França, Espanha, Portugal, Equador e Peru. Em seu depoimento citou celebridades que atravessaram as águas do Rio Negro, como Ana Marcela, Fernando Pontes e Alan do Carmo.

    A travessia é uma tradição
    A travessia é uma tradição | Foto: Alcides Netto/Rio Negro Challenge

    “A travessia Almirante Tamandaré tem um histórico muito bonito. Foi uma prova criada em 1970. O primeiro vencedor foi um nadador do Clube do Remo (PA), chamado Carlos Reimão. Nesta primeira etapa, o amazonense que teve a melhor colocação chegou em quarto lugar, o grande nadador Paulo Rebelo, grande professor de educação física até hoje. Já o primeiro amazonense a ser vitorioso nessa prova foi Alfredo Jacaúna, em 1973, levando o nome do Amazonas ao topo do pódio”, destacou Pierre.

    A travessia dura em média duas horas
    A travessia dura em média duas horas | Foto: Alcides Netto/Rio Negro Challenge

    Participantes

    Isabele Farias da Silva, de 17 anos, é a atual campeã da prova. Ela participou da travessia pela primeira vez, em 2017, com apenas 13 anos e, de lá para cá, a estudante, do 2º ano do ensino médio, não deixou a competição.

    A adolescente pratica natação desde de criança e se declara apaixonada pelo esporte. Aos 11 anos começou a competir influenciada e motivada pelo professor da escolinha e, atualmente, não pretende parar. Isabele leva a competição como um desafio diário. Para ela, competir é um propósito de vida.

    “A travessia é uma prova bem diferente das que eu já havia nadado, por isso eu estava me preparando fisicamente e mentalmente. Na realidade, não sabia o que esperar e, no decorrer da prova, eu não tinha como saber a minha colocação. Quando anunciaram que ganhei não acreditei inicialmente. Mas logo fiquei muito feliz e aliviada, com o sentimento de gratidão por Deus, pelos meus pais e por todas as pessoas que me ajudaram no processo. Eu amo nadar e pretendo continuar competindo”, disse a estudante.

    Andreson Colares participou da prova em 2018 e está se preparando para a edição especial em 2020. O primeiro passo foi iniciar uma reeducação alimentar para chegar mais leve até o dia da prova, ele também aumentou a frequência dos treinos e, aos poucos, está tentando adicionar uma corrida, ou mesmo exercícios funcionais para melhorar o condicionamento físico.

    Segundo Andreson, não é nadador profissional, no entanto gosta de nadar para competir. Ele já participou das competições Master no Brasil e no exterior.

    Andreson está se preparando para esta edição dos 50 anos
    Andreson está se preparando para esta edição dos 50 anos | Foto: Arquivo Pessoal

    “No ano em que nadei, fui o primeiro na minha categoria e, se não estou enganado, o décimo no geral. A travessia é uma competição que exige muito do atleta. Não somente preparo físico, mas também mental. Saber que vai nadar mais de duas horas não é simples. No início que estamos com gás é ótimo, porém quando bate o cansaço vem a pergunta: ‘O que estou fazendo aqui?’. Porém o trajeto é algo único. A chegada é uma mistura de vitória e dever cumprido e, finalmente, a chegada à praia”, declarou o nadador.

    Outras informações da edição 2020

    Além dos 8,5 quilômetros de adrenalina nas águas do rio Negro, o Challenge contará com as provas de 2 quilômetros e 4 quilômetros. O relay, que já caiu no gosto dos nadadores que participam do evento, acontecerá no sábado (12) também de dezembro.

    O revezamento contará com equipes de três atletas e cada um nadará 500 metros. Por causa da Covid, apenas 380 atletas devem participar desta edição, de acordo com a assessoria do evento.

    A competição este anos terá vagas limitadas
    A competição este anos terá vagas limitadas | Foto: Alcides Netto/Rio Negro Challenge

    O congresso técnico será virtual e a retirada dos kits será feita em horários diferenciados, conforme as categorias de disputa. Os organizadores garantem que segurança é prioridade nos eventos.

    “Nós vamos fazer um evento com todos os protocolos de saúde aprovados pelos órgãos públicos e será seguro e bem divertido para toda a família”, pontua Pierre.

    Leia Mais

    'Del Baille': Flamengo irreconhecível leva goleada na Libertadores

    Fifa rechaça Mundial de Clubes em 2020 e o projeta no início de 2021

    São Paulo joga mal, mas busca empate contra o River Plate no Morumbi