Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    Premiê do Japão dirá à ONU que quer realizar Olimpíada em 2021

    Jogos estavam marcados para este ano mas foram adiados por um ano Jogos estavam marcados para este ano mas foram adiados por um ano

    Suga também dirá à Assembleia da ONU que está disposto a se encontrar com o líder norte-coreano, Kim Jong Un
    Suga também dirá à Assembleia da ONU que está disposto a se encontrar com o líder norte-coreano, Kim Jong Un | Foto: Divulgação


    O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, deve dizer à Assembleia-Geral das Nações Unidas nesta sexta-feira (25) que seu país está determinado a realizar em 2021 a Olimpíada de Tóquio, adiada devido à pandemia de coronavírus, como mostrou o esboço de um discurso.

    Os jogos foram marcados originalmente para o verão no Hemisfério Norte deste ano, mas em março o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o governo japonês o postergaram em um ano.

    "No verão do ano que vem, o Japão está determinado a sediar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio como prova de que a humanidade derrotou a pandemia", dirá Suga em uma mensagem gravada, de acordo com o esboço disponibilizado pelo Ministério das Relações Exteriores.

    "Continuarei a não poupar esforços para acolhê-los em jogos seguros e protegidos", dirá o premiê ao estrear na Organização das Nações (ONU) como novo líder japonês.

    Suga se tornou primeiro-ministro neste mês depois que Shinzo Abe renunciou devido a problemas de saúde.

    Suga também dirá à Assembleia da ONU que está disposto a se encontrar com o líder norte-coreano, Kim Jong Un, sem quaisquer precondições para resolver a questão já antiga dos cidadãos japoneses sequestrados pela Coreia do Norte décadas atrás, reiterando a postura de seu antecessor.

    "Estabelecer um relacionamento construtivo entre o Japão e a Coreia do Norte servirá não somente aos interesses dos dois lados, mas também contribuirá enormemente para a paz e a estabilidade regionais", dirá ele.

    Na mensagem de vídeo, Suga ainda dirá à reunião que o Japão trabalhará para garantir um acesso igualitário a tratamentos e vacinas contra o coronavírus para pessoas de nações em desenvolvimento.