Fonte: OpenWeather

    Grand Slam de Judô


    Brasil volta a competir Grand Slam de Judô, na Hungria

    Mesmo com a paralisação da competição, há seis meses, os atletas brasileiros conseguiram treinar e voltam para a competição nesta sexta-feira (23)

    Com a volta do torneio, a corrida para uma vaga nos jogos Olímpicos de Tokyo, recomeça
    Com a volta do torneio, a corrida para uma vaga nos jogos Olímpicos de Tokyo, recomeça | Foto: Abelardo Mendes Jr

    A delegação brasileira com 18 judocas volta a competir no Circuito Mundial de Judô que retorna nesta sexta-feira (23), com a realização do Grand Slam de Budapeste (Hungria), após seis meses de paralisação, em razão da pandemia de Covid-19. 

    Os atletas desembarcaram nesta terça-feira (20) na capital húngara e reunirá mais de 400 atletas de 69 países, entre eles o Brasil. 

    A competição distribui mil pontos aos campeões que valem para o ranking classificatório para os Jogos Olímpicos de Tóquio (Japão).

    Devido ao adiamento do evento esportivo para 2021, a corrida pela vaga olímpica foi estendida até 29 de junho do ano que vem. Apenas os 18 mais bem colocados no ranking - em cada categoria, e por gênero -  terão presença garantida nos Jogos de Tóquio.

    Para assegurar a saúde do atletas e profissionais, em meio à pandemia de covid-19,  a Federação Internacional de Judô (FIJ) reforçou a testagem - atletas e comissão técnica farão quatro testes - e determinou o confinamento dos participantes em um hotel, em Budapeste. 

    “Acredito que vá ser uma competição imprevisível. Podemos ver favoritos caindo e surpresas surgindo” relatou Ney Wilson Pereira, gestor de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

    A  equipe masculina do Brasil conta com Eric Takabatak, Eduardo Katsuhiro, João Pedro Macedo, Rafael Macedo, Rafael Buzacarini, Leonardo Gonçalves, Rafael Silva “Baby” e David Moura.

    Outros quatro judocas das categorias de base, foram convocados. Eles estão em transição do Júnior para o Sênior: Renan Torres, Willian Lima, Guilherme Schimidt e Marcelo Gomes.  

    Na categoria feminina, o país será representado por Larissa Pimenta, Jéssica Pereira, Ketleyn Quadros, Maria Portela, Maria Suelen Altheman e Beatriz Souza. 

    Nos únicos Grand Slams realizados este ano - Paris e Dusseldorf - que ocorreram em fevereiro, o Brasil subiu ao pódio quatro vezes, apenas com mulheres: Larissa Pimenta (medalha de bronze) e Beatriz Souza (bronze), na França; e  Mayra Aguiar (prata) e Rafael Silva “Baby” (bronze) na Alemanha.  

    *Via Agência Brasil

    Leia Mais: 

    Copa 2022: Tite convoca jogadores para os próximos jogos nesta sexta (23) 

    Japão prepara medidas contra ataques cibernéticos ás Olimpíadas