Fonte: OpenWeather

    Entrevista exclusiva


    'Esporte é essencial, recuperativo e saúde' afirma Jorge Elias da FAAR

    O novo diretor-presidente Jorge Elias, afirma que a pasta possui projetos esportivos a serem executados na pandemia para promoção de saúde e pós-pandemia para fortalecimento do esporte local

     

    Jorge Elias fala sobre os principais problemas que o esporte local enfrenta
    Jorge Elias fala sobre os principais problemas que o esporte local enfrenta | Foto: Mauro Neto e Arquivo pessoal

    Manaus – Com grande experiência em administração esportiva, Jorge Elias Costa assumiu no dia 17 de março, a presidência da Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar).

    O novo diretor-presidente é Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), com especialização em Gestão Pública pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Teve passagens pela diretoria administrativa financeira da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel).

    Em entrevista exclusiva ao Em Tempo, Jorge Elias fala sobre os principais problemas que o esporte local enfrenta e quais os planos para o seguimento neste momento atípico: a pandemia.

     

    O novo diretor-presidente é Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), com especialização em Gestão Pública pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA)
    O novo diretor-presidente é Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), com especialização em Gestão Pública pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) | Foto: Mauro Neto e Arquivo pessoal

    EM TEMPO- Diretor, o senhor acumula no currículo grande experiência em administração esportiva, inclusive com passagem pela Semjel, gostaria de saber o que você traz para esse novo desafio frente à FAAR?

    Jorge Elias- Em primeiro lugar quero agradecer ao Governador Wilson Lima pela oportunidade nos dada e também agradecer ao espaço que foi nos dado. A Semjel foi uma faculdade, no qual, nós aprendemos muito e ao mesmo tempo aproveitamos para nos qualificar e montar uma equipe sólida, tanto na parte administrativa quanto na parte do desporto, para que pudéssemos realizar muitos feitos enquanto lá estivemos.  Aprendemos muito, tanto na captura de recursos, como orçamentos, e outras lições da administração pública.

    Quando surgiu a oportunidade de enfrentarmos esse grande desafio, que é fazer parte da gestão esportiva do estado, nós buscamos todas as informações, fomos atrás das questões de orçamentos, de visão, o "porquê" da Faar, e posso confessar que me apaixonei pelo projeto.

    Li bastante o estatuto, me envolvi e mergulhei nas informações, pois a responsabilidade é muito grande, mas o objetivo maior será trabalhar o esporte e lazer, aliado ao alto rendimento e o esporte comunitário. É um tripé importante, pois acredito que nesse momento, onde estamos vivendo uma pandemia e o pós Covid. Teremos um esporte educativo e ao mesmo tempo competitivo, além de que, estaremos seguindo todos os protocolos, com isso avançaremos ainda mais no esporte no estado, eu tenho certeza disso.

    EM TEMPO- Quais os projetos que pode nos adiantar, ainda para serem executados em 2021, mesmo em ano de pandemia?

    Jorge Elias- Nós estamos com vários projetos, porém irei dar ênfase em dois que estão em andamento, que são o ‘RespirAR’ e o 'Mexa-se em Casa'. O projeto ‘RespirAR’ é um projeto que, quando chegamos vimos uma ação fantástica, espetacular que foi iniciado por um de nossos coordenadores técnicos da Faar, mas percebemos que faltava alguns profissionais.

     

    Pessoas recebendo o certificado do projeto RespirAR
    Pessoas recebendo o certificado do projeto RespirAR | Foto: Mauro Neto e Arquivo pessoal

    Nós resolvemos transformar o programa em uma política pública, colocando três fisioterapeutas no quadro de servidores da Faar, pois sabemos que os sequelados de Covid necessitam demais desse serviço.

    Aliado ao RespirAR, criamos o programa ‘Caminhar para Aliviar’, porque depois que o fisioterapeuta dá a alta para o paciente e certificando que ele pode realizar exercícios físicos, nós o encaminhamos para os professores de educação física, onde iniciam as caminhadas orientadas. 

    Outro projeto que é excelente é o ‘Mexa-se em Casa’, pois é por meio dos serviços remotos, para quem se encontra na comodidade de seu lar cumprindo o isolamento social, que também podemos fazer atividades físicas, das partes funcionais e melhorar o condicionamento físico. Esse programa passará por uma evolução e em breve nós poderemos alcançar mais pessoas.

    Este primeiro momento é de esporte consciente e a partir do momento em que os estudos sanitários realizados pelo governo, possibilitar a abertura dos espaços e realização de mais esportes, teremos vários projetos para colocarmos em prática. Mas isso ainda será anunciado pelo nosso governador e pela Faar. São políticas públicas fortíssimas que o nosso governador quer proporcionar à população amazonense, pois sabe da importância do esporte na recuperação física e mental, e até espiritual no pós pandemia.

    EM TEMPO- Atualmente, o 'Aula em casa' é um projeto da FAAR que tem funcionado, mesmo com a pandemia, em âmbito virtual. Gostaríamos de saber se os demais projetos seguem de forma online ou irão haver estratégias para integração de pessoas, mesmo com número limitado?

    Jorge Elias- Neste primeiro momento o esporte é de consciência, de recuperação individual, por isso que o nosso governador já autorizou as práticas esportivas individuais, o que ajuda muito a recuperar a saúde da nossa sociedade.

    Hoje nós temos duas vertentes que ainda estamos estudando para o esporte, uma é a questão da imunização, e a segunda é a possibilidade de um auxílio. Analisaremos os pontos a serem debatidos e os segmentos que realmente foram atingidos pela pandemia.

    Nós percebemos que não adianta irmos para o campo do esporte sem a imunização da classe esportiva e isso o Governo já está tendo um olhar mais sensível. A imunização é importantíssima, pois vai proteger tanto os profissionais quanto os praticantes.

    Teremos muitos projetos voltados para a pós pandemia que irão trabalhar o esporte e o lazer comunitário, onde iremos obedecer aos protocolos sanitários para a nossa proteção, e assim, o nosso tripé de lazer, esporte comunitário e alto rendimento, será muito importante para beneficiarmos muitas pessoas. 

    EM TEMPO- Com relação ao Barezão, que está acontecendo sem interrupções, diferentemente dos demais campeonatos no Brasil. A fundação possui planos para incentivo aos times locais? Seria o momento de permitir a realização dos demais torneios de forma gradual?

    Jorge Elias- Nós sabemos que o futebol profissional no nosso estado é muito importante, claro que nós não podemos de forma nenhuma hoje impedir esses jogos. Mas a própria CBF, com a sua diretoria de operações, criou um protocolo de segurança que todos os times devem cumprir, ou seja, todos os envolvidos numa partida, desde os jogadores até a comissão técnica, devem fazer a testagem de Covid, além da não liberação de pessoas que não façam parte do jogo.

    Então, os motivos para o Campeonato Amazonense de Futebol continuar, são a execução dos critérios que nós adotamos junto aos clubes que resguardam a nossa segurança e a de todos, o que configura a testagem dos jogadores e comissão. Havendo algum teste positivo, já será automaticamente retirado da relação da partida, evitando a disseminação do vírus.

    Como instituição, nosso protocolo preza pela vida e permite a entrada ao espaço de jogos somente o time, funcionários da Faar e de profissionais da imprensa. 

    EM TEMPO- O programa “RespirAR” é um dos projetos que estão funcionando na pandemia. Até este momento, quantas pessoas foram beneficiadas com o projeto de grande relevância?

     

    Até o momento, 77 pacientes já estão curados
    Até o momento, 77 pacientes já estão curados | Foto: Mauro Neto e Arquivo pessoal

    Jorge Elias- O programa "RespirAr" hoje, no meu ponto de vista, será um dos mais importante do país e será referência para outros estados, inclusive, já fomos procurados para saber como operamos o programa aqui.

    Temos noção que são muitos sequelados da Covid-19, mas somente com esse projeto piloto, nesse primeiro momento, conseguimos atender 77 pacientes que já estão curados e autorizados a sua prática esportiva pós-fisioterapeuta.

    O RespirAR virou uma política pública, e está virando uma política de estado, porque ele vai fazer parte do nosso projeto nos próximos anos, tenho certeza que vai fazer muita diferença não só na questão que estamos vivendo, mas sim todos aqueles pacientes que podemos ajudar na sua recuperação pulmonar. 

    EM TEMPO- Com relação à Escolinha de Iniciação Esportiva da Vila Olímpica. Estão com as atividades paralisadas? Se sim, há previsão de retorno, mesmo que de forma gradual e com esportes com pouco contato? Ou ainda há uma espera por parte dos boletins de Covid no Estado, para liberação das atividades?

    Jorge Elias- Queremos reestruturar toda a questão de equipamentos e materiais para quando for autorizado essas práticas coletivas para recebermos da melhor forma as crianças da iniciação esportiva. Mas, informo que trabalharemos para alcançar um modo totalmente informatizado para acompanhamento dos alunos, tanto na questão do seu desenvolvimento quanto no controle de presença, isso vai ajudar os professores na execução das atividades e os pais no controle de suas crianças. Temos conhecimento do quanto o esporte é essencial na vida de uma criança e na sua formação, por isso, daremos todo o suporte para o melhor desenvolvimento disso.

    EM TEMPO- Os torneios que marcam o fim de ano, como o Rio Negro Challenge, possui risco de não acontecer por conta da pandemia, ou ainda é muito cedo para dizer? Há previsões de torneios para os próximos meses? Se sim, quais?

    Jorge Elias- Acreditamos que até em dezembro já estaremos com o nosso projeto de imunização bem avançado, inclusive ressaltando que, não somente na natação, mas temos no papel outros eventos que atingirão massas importantes do esporte.

    Estamos bem planejados com recursos para aplicamos forte no esporte, é isso que o nosso governador quer, imunizar o nosso povo e fortalecer com o nosso esporte para que possamos passar para a nossa próxima geração, uma geração que soube sobreviver nesse momento tão difícil que atingiu tantas famílias.

    Acredito que vamos passar por esse momento, para realizarmos os nossos grandes eventos esportivos. Agora devemos seguir o esporte individual e consciente. Quero aproveitar e dizer em primeira mão que vamos levar o "Caminhar para Aliviar", que hoje acontece na Vila Olímpica, o levaremos para a Ponta Negra e para as zonas Leste e norte da nossa cidade. O nosso povo tem sim ânsia pela prática esportiva e nós como pasta de esporte, precisamos orientar e estar presente nesse momento.

    Para finalizar quero agradecer a oportunidade e dizer que estamos de portas abertas e o nosso gabinete de prontidão para qualquer esclarecimento. Reforçamos que o esporte é essencial, recuperativo e saúde. A prática do esporte é a saúde. 

    Leia mais:

    Com desfalques, Grêmio joga na Libertadores

    Flamengo e Flu caem em grupos difíceis na Libertadores; veja sorteio

    <<<<<<< HEAD ======= >>>>>>> e5a666b371d90e4920345db9572e28a6ed1fabe8