Fonte: OpenWeather

    Seleção Brasileira


    Seleção Feminina enfrenta Rússia em amistoso

    A técnica Pia Sundhage comandou a equipe visando os dois próximos jogos preparatórios

     

    A treinadora sueca analisou o time russo e mostrou que a comissão técnica fez o dever de casa
    A treinadora sueca analisou o time russo e mostrou que a comissão técnica fez o dever de casa | Foto: Carolina Brito/CBF

    A Seleção Feminina enfrenta a Rússia nesta sexta-feira (11), às 16h, no Estádio Cartagonova, em Cartagena, na Espanha. O amistoso visa os jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

    O primeiro treino aconteceu na última terça-feira (8). A técnica Pia Sundhage comandou a equipe visando os dois próximos jogos preparatórios diante da Rússia e do Canadá.

    Visando a recuperação das atletas, a comissão técnica dividiu o elenco em dois grupos. As atletas que atuam no Brasil, Estados Unidos, além de Letícia e Andressa Alves, fizeram trabalho leve de corrida e alongamento no campo. 

    As jogadoras Ludmila, Geyse, Jucinara, Letícia Santos, Formiga, Giovana e Aline Reis, trabalharam em ações técnicas e táticas sob o comando da sueca.

    Em entrevista coletiva, nesta quinta-feira (10), a treinadora sueca analisou o time russo e mostrou que a comissão técnica fez o dever de casa.

    "

    A Rússia é um time muito organizado e será um adversário duro. Elas jogam com muita força. O fato delas serem bem organizadas nos ajuda a aplicar a nossa velocidade e acelerar o jogo, porque se as conexões são mais rápidas, nós conseguimos quebrar essa organização defensiva. Eu acho que nós temos muitas jogadoras boas no meio-campo, se olharmos em como elas atuam nos seus clubes. Nós vamos explorar isso, assim como as jogadoras abertas. Quando elas se defendem, elas ficam muito compactas "

    Pia Sundhage, treinadora da Seleção Feminina

     

    Para a treinadora, os jogos contra Rússia e Canadá serão muito importantes porque mostrarão para todos o nível de competitividade em que a Seleção se encontra. Os treinos servirão para idealizar o time ideal para as Olimpíadas. 

    "

    Nós queremos achar uma coesão no time, por isso pretendemos utilizar titulares parecidas contra Rússia e Canadá. O mais interessante é quem virá do banco, porque esta será a jogadora que mudará a cara da partida e isso será muito importante nas Olimpíadas. Nós só temos dois dias de intervalo entre os jogos nas Olimpíadas, então algumas delas ficarão cansadas, por isso precisamos das mudanças, além da necessidade de alteração por questões táticas "

    Pia Sundhage, Treinadora

     

    Preparadas para o campo

    De volta à Seleção Feminina após 15 meses por conta de lesão, a lateral Letícia Santos exaltou a oportunidade de voltar à mira de Pia Sundhage.

    Pelo Corinthians, Giovanna Crivelari se destaca na função de atacante. Mas por conta de seus atributos físicos e da versatilidade, na Seleção Brasileira, ela vem sendo avaliada no papel de defensora. A jogadora acredita que tem a polivalência a seu favor para figurar na lista final da Canarinho para as Olimpíadas de Tóquio, em julho.

     

    Os treinos servirão para idealizar o time ideal para as Olimpíadas
    Os treinos servirão para idealizar o time ideal para as Olimpíadas | Foto: Carolina Brito/CBF

    “Estou aprendendo (a atuar como defensora), tudo é aprendizado. É tudo muito novo, mas estou me adaptando, tentando fazer o que eles estão pedindo", frisou a atleta da Seleção.

    A Canarinho encara o Canadá, no dia 14 de junho, no mesmo local e horário. Essa é a última Data FIFA antes da disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. 

    *Informações CBF

     Leia mais:

    Seleção Feminina de futebol é convocada

    Treinadora da Seleção Feminina analisa adversários nos Jogos de Tóquio