Fonte: OpenWeather

    MMA


    Charles do Bronx projeta defesa de cinturão do peso-leve no UFC

    Sobre quem seria o adversário "ideal", Charles diz estar preparado para Connor McGregor e Dustin Poirier

     

    Depois de vencer Michael Chandler no mês passado, o brasileiro se isolou ainda mais como o lutador
    Depois de vencer Michael Chandler no mês passado, o brasileiro se isolou ainda mais como o lutador | Foto: Divulgação

    Charles do Bronx se consagrou campeão mundial da categoria peso-leve no UFC, ao vencer o americano Michael Chandler por nocaute, em 16 de maio. O lutador de 31 anos está no auge da carreira e também a nova estrela do MMA.

    Há 11 anos no UFC, a escalada rumo ao topo de Charles do Bronx teve mais degraus que a maioria. Foram 28 lutas, a primeira em 2010, contra Darren Elkins, para chegar ao título mundial.

      Nenhum outro lutador teve uma caminhada tão longa. No entanto, os números que impressionam são outros.  

    Charles já era o recordista em finalizações em toda história do UFC, com 14. E, depois de vencer Michael Chandler no mês passado, o brasileiro se isolou ainda mais como o lutador com mais vitórias pela chamada "via rápida". E muito desse sucesso em finalizar adversários vem do início do lutador no esporte, mais especificamente no jiu-jitsu. 

    "Quando eu entrei no UFC, na primeira oportunidade que tive eu disse que queria fazer história. Eu era um menino em meio a leões, mas hoje eu sou um leão também. Só tenho 31 anos, mas venho fazendo história e quero muito mais. Quero que quando eu pare, as pessoas falem que não tem como quebrar meus recordes", diz o lutador. 

    Mundo dá voltas

    Defensor do cinturão do peso-leve, Charles do Bronx sabe que enfrentará o vencedor da luta entre Connor McGregor e Dustin Poirier, que duelam em julho. O mais curioso é que, lutadores com quem o brasileiro pedia para lutar, estão agora em papéis invertidos, na posição de desafiantes.

    "

    A minha mãe sempre me ensinou que o mundo dá voltar e eu nunca esqueci das minhas origens. Eu pedi muito por essa luta (contra McGregor) há dois anos, assim como pedi para outros caras. Hoje você ser campeão e esses lutadores pedirem para você, é demais "

    Charles do Bronx, lutador

     

    Sobre quem seria o adversário "ideal", Charles diz estar preparado para ambos. "São dois grandes nomes, dois grandes representantes do peso-leve. Mas, independente de quem ganhar, eu vou estar pronto para lutar com qualquer um dos dois", diz. No entanto, o lutador acredita numa vitória do irlandês: "Se tivesse que apostaria, iria no McGregor, acho que ele leva".

    Sobre o momento que vive, a mente de Charles volta ao passado, sempre com uma valiosa lição aprendida com a mãe. "Ela sempre falou para eu sonhar alto, mas mantendo o pé no chão. Eu sonhei com isso, a mídia em cima de mim, fotos, holofotes, entrevistas. Sou grato a Deus, estou muito feliz", afirma. 

    "Eu era muleque de fé, muito sonhador. Sonhei minha vida inteira com isso, desde que entrei no UFC eu sonhei em ser campeão. E em todos os meus sonhos, eu sonhei o mais alto possível, mas do jeito que tudo aconteceu, acho que até ultrapassei isso. É grandioso, quero continuar vivendo isso por muito tempo", completa Charles do Bronx.

    R7*

     Leia mais:

    Victor Neves leva Jiu-jitsu o AM para pódios internacionais 

    Lutador indígena de MMA é campeão na primeira edição do "Star Combat"