Fonte: OpenWeather

    Tocha Olímpica


    Tóquio retira parte do revezamento da tocha de vias públicas

    O governo de Tóquio decidirá em breve como realizar o revezamento da tocha na segunda metade da etapa da capital

     

    O revezamento da tocha deve chegar à capital no dia 9 de julho
    O revezamento da tocha deve chegar à capital no dia 9 de julho | Foto: Reuters

    A quantidade de infecções do novo coronavírus (Covid-19) dá sinais de estar disparando novamente em Tóquio, local onde serão realizados os Jogos de Tóquio 2020

    A organização do evento decidiu tirar a primeira parte do revezamento da tocha olímpica da capital das vias públicas, informou o governo metropolitano nesta terça-feira (29).

    O revezamento da tocha deve chegar à capital no dia 9 de julho, passando principalmente pelos subúrbios e ilhas mais distantes, antes de atravessar o centro da cidade de 17 de julho até a cerimônia de abertura dos Jogos em 23 de julho.

    Durante os primeiros oito dias até 18 de julho, as cerimônias de acendimento da tocha ocorrerão sem espectadores, e o revezamento não será realizado em vias públicas, disse o governo metropolitano - mas os revezamentos nas ilhas acontecerão em vias públicas.

    O governo de Tóquio decidirá em breve como realizar o revezamento da tocha na segunda metade da etapa da capital, enquanto acompanha cuidadosamente a situação do coronavírus.

      O Japão não sofreu os surtos de vírus explosivos vistos em outras partes, mas só recentemente emergiu de uma quarta onda de infecções.  

    Um declínio no ritmo de surgimento de casos novos e uma aceleração na vacinação levaram as autoridades a amenizar um estado de emergência em Tóquio e outros oito municípios em 20 de junho.

    Mas com a aproximação da Olimpíada, especialistas temem um novo aumento de casos em Tóquio e a disseminação de variantes mais altamente transmissíveis. Os Jogos também enfrentam a resistência de uma parcela substancial do público.

    Preocupação com o evento

    Com poucos dias para a realização dos Jogos Olímpicos em Tóquio, a grande dúvida está na segurança da saúde das pessoas que participarão do evento. 

    Em entrevista coletiva em Tóquio, o presidente do Comitê Olímpico Japonês, Yasuhiro Yamashita, afirmou que não tem como blindar a competição e fazer com que nenhum caso de covid-19 seja registrado durante o evento esportivo.

    “Não existe ‘nenhuma maneira’ de blindar a competição. Não importam quais medidas sejam feitas, de maneira nenhuma não teremos nenhum caso positivo chegando. Mesmo que tenham tomado duas doses de vacina, isso não garante que todos testarão negativo”. 

    Leia mais:

    Brasil terá 13 atletas de judô na Olimpíada de Tóquio

     Japão limita 10 mil pessoas para cada evento esportivo