Fonte: OpenWeather

    Vôlei de praia


    Bruno e Evandro celebram volta por cima no jogo e avançam em Tóquio

    Foi um desafio para a capacidade de superação da parceria

     

    A parceria relembrou os momentos difíceis que enfrentou nesse ano
    A parceria relembrou os momentos difíceis que enfrentou nesse ano | Foto: Wander Roberto/COB

    No jogo mais difícil da fase de classificação, Bruno Schmidt e Evandro conseguiram um ótimo teste para a dupla e avançaram para os mata-matas nos Jogos Olímpicos 2020.

     Na noite de sexta (30) (no Japão), eles venceram os poloneses Bryl e Filajek por 2 sets a 1 (19/21, 21/14 e 17/15). 

    Foi um jogo difícil, com um rival que ofereceu muita resistência e tem uma das melhores defesas do mundo. Foi um desafio para a capacidade de superação da parceria.

    "

    Esse foi nosso primeiro jogo à noite e foi completamente diferente. A gente teve que ajustar tudo, saque, levantamento. Fico satisfeito em termos tido essa chance, será importante para o torneio. E jogar contra esse time a gente sabia que seria difícil. Nós perdemos o primeiro set mas voltamos fortes. Isso é importante nos Jogos Olímpicos. Fico feliz que tivemos esse desafio e conseguimos. Nós nos ajudamos. Evandro estava me incentivando, especialmente nos momentos difíceis. Que bom que foi um jogo difícil. Esse jogo difícil vai nos preparar bem para a próxima fase. Esse time é tão bom, tem tantas qualidades e estavam bem durante a pandemia. Estou muito satisfeito com o que fizemos "

    Bruno Schmidt, atleta

     

    A parceria relembrou os momentos difíceis que enfrentou nesse ano, quando Bruno enfrentou um quadro grave de covid-19 e, muito debilitado, não sabia se chegaria aos Jogos Olímpicos em condições competitivas.

    "Passei o pior momento da minha vida em fevereiro e março. Covid não escolhe ninguém, e eu sou prova disso. Quando saí do hospital tinha quatro meses para voltar a ser um atleta. Ninguém sai de uma situação de acamado para jogar um torneio de vôlei de praia. Eu falei para a equipe que precisava dar passos atrás para ser competitivo. Não foi fácil, Evandro teve que tomar uma garrafa de paciência ali do meu lado. A escolha foi acertada. Feliz de ter feito a escolha cera e ter ao meu lado pessoas que me deram a mão na caminhada mais difícil da minha vida", comemorou Bruno.

    O torneio olímpico de vôlei de praiacontinua neste sábado com Ana Patrícia e Rebecca contra Claes e Sponcil, dos EUA, às 9h do Japão (21h de sexta no Brasil). As oitavas de final começam no domingo (1), em horários e contra adversários ainda a serem definidos.

    *COB

    Leia mais:

    Seleção feminina vence República Dominicana 

     Dupla do Brasil perde para a Letônia em Tóquio