Fonte: OpenWeather

    Ginasta


    "Quando se está no topo, todos rezam para você cair", diz Simone Biles

    A atleta Simone Biles, que destacou-se na Olímpiada de Tóquio pela coragem de assumir suas limitações, ao desistir de participar de provas, fala em entrevista

     

    Depois da participação na Olimpíada de Tóquio, Simone Biles disse que ainda não sabe como se sente e que precisa "trabalhar em si mesma"
    Depois da participação na Olimpíada de Tóquio, Simone Biles disse que ainda não sabe como se sente e que precisa "trabalhar em si mesma" | Foto: Divulgação

    A atleta  norte-americana Simone Biles, que destacou-se na Olímpiada de Tóquio pela coragem de assumir suas limitações, ao desistir de participar de provas importantíssimas na ginástica, contou em entrevista a revista Glamour como é o treinamento para defender a seleção americana. "Eu treino de 32 de 34 horas por semana para competir apenas por 3 ou 4 minutos. São vários esportes em um só. Você não pode apenas ser rápida. Você precisa também ser ágil, precisa saber saltar, memorizar os passos", contou em um vídeo.

    Simone não deixou de destacar as maldades que existem no mundo esportivo e até mesmo nas redes sociais. "Percebi que quando você está no topo, todos rezam para você cair', disse.

    Respondendo às perguntas de internautas, Simone relembrou como começou a carreira de ginasta olímpica. "Tinha 6 ou 7 anos, o que é considerado tarde". E continuou explicando mais sobre a profissão. "Eu diria que é 50% mental e 50% preparo físico".

    "Na ginástica ou em qualquer competição, meu objetivo nunca foi ganhar. Apenas aconteceu. Mas percebi que quando você está no topo, todos rezam para você cair, o que é estranho para mim", analisou.

    Ao ser perguntada sobre saúde mental devido ao meio competitivo, respondeu: "Nunca fui uma criança depressiva, sempre fui feliz. Sempre senti que não precisava entrar na pressão de competir até ficar mais velha. Porém tudo depende dos seus parentes e dos treinadores. Meu pais sempre deixaram me divertiram e ser eu mesmo dentro e fora da ginástica", começou a explicar.

    "Ao ficar mais velha, você tem dias ruins. Eu tive uns dois. Vou à terapia e eu acho que deveria se falar muito mais porque não é algo para se sentir envergonhado ou com medo. Todos precisam trabalhar em algo para si mesmos".

    trabalhar a si mesma

    Depois da participação na Olimpíada de Tóquio, Simone Biles disse que ainda não sabe como se sente e que precisa "trabalhar em si mesma". Nesta edição dos Jogos, a ginasta saiu no meio da competição por equipes e desistiu de competir do salto, do solo, das barras assimétricas e do individual geral para cuidar do bem-estar emocional e psicológico. Em coletiva, como informou primeiramente o "ge", a americana contou que precisa entender o que aconteceu e destacou que a própria saúde importa mais do que a medalha.

    - Eu não sei como eu estou me sentindo agora. Eu só preciso voltar para casa e trabalhar em mim mesma, me sentir ok com tudo o que está acontecendo, processar tudo enquanto estou aqui. Foi a parte mais difícil disso tudo. Eu estava ok por perder as finais porque sabia que, fisicamente, eu não poderia fazer isso - disse Simone Biles. 

    Veja a entrevista em inglês:

    Our Digital Cover star and Olympic Gold Medalist Simone Biles responds to popular misconceptions and assumptions about gymnastics and the athletes who partic... | Autor: Glamour
     


    * Com informações da Revista Glamour