Fonte: OpenWeather

    Competição de natação


    Nadadores mirins do AM são promessas de ouro em competição nacional

    Os competidores buscam os melhores resultados para o Amazonas

     

    O campeonato é um dos mais requisitados para o mundo da natação mirim
    O campeonato é um dos mais requisitados para o mundo da natação mirim | Foto: Brayan Riker

    Manaus (AM ) - Mesmo após o fim das Olimpíadas de 2020 de Tóquio, o espirito esportivo e a inspiração causada pela maior competição segue viva, principalmente na vida das crianças do Amazonas. Na natação, um dos esportes que mais conquista adeptos desde a infância, jovens competidores disputam o lugar mais alto do pódio. 

    Cerca de 12 nadadores mirins amazonenses do Instituto Pedro Nicolas foram até Boa Vista, em Roraima, para competir nas mais diversas categorias e em busca de trazer várias medalhas para o Amazonas, por meio do campeonato Norte-Nordeste, que aconteceu entre os dias 20 e 21 de agosto. 

     

    A equipe treina intensamente há dois meses
    A equipe treina intensamente há dois meses | Foto: Brayan Riker

    O campeonato é um dos mais requisitados para o mundo da natação mirim e revela diversos talentos que poderão ser destaques no futuro da natação brasileira. Com diversas categorias, os nadadores podem competir em mais de uma categoria e aumentarem as chances de levar medalhas para casa. 

      A equipe é composta por seis meninas e a mesma quantidade de meninos, com idade em média de 10 a 12 anos de idade, que demonstraram ter talento para a natação desde cedo.  

    O técnico da equipe, Leandro Freire, revela que a equipe busca por medalhas. O Instituto Pedro Nicolas fez uma preparação especial com os atletas para que eles pudessem ter o melhor resultado dentro da piscina.

     

    Leandro Freire é o técnico da equipe
    Leandro Freire é o técnico da equipe | Foto: Brayan Riker

    "Tivemos uma preparação específica porque o evento é especial para nós", revelou o treinador ao Em Tempo.

    O responsável por treinar os nadadores conta que eles focaram por dois meses em uma intensa rotina de treinos que ocorriam de segunda a sexta, com duração de 1h até 1h30. T

    Atletas buscam pódio

     

    Adriele Marcela,  de 10 anos, é a  melhor da sua modalidade há 4 anos
    Adriele Marcela, de 10 anos, é a melhor da sua modalidade há 4 anos | Foto: Brayan Riker

    Os atletas estiveram em solo roraimense com as melhores das expectativas. Uma dessas atletas é Adriele Marcela,  de 10 anos, que vem há quatro anos sendo a melhor da sua modalidade.

    O pai da nadadora, Adinilson Cordeiro Coelho, afirma que esperam voltar para casa com resultado inédito e com otimista revelou que a filha tem sede de pódio. 

    "

    O objetivo desse ano é fazer com que Marcela termine o ano em primeiro lugar do ranking brasileiro em todas as distâncias e estilos. Isso nunca foi feito por nenhum nadador brasileiro e ela vai trazer todos esses recordes para nós do Amazonas, é um orgulho ela ter nascido no nosso estado. "

    Adinilson Cordeiro Filho, Pai de Adriele Marcela

     

    Apesar de ter uma preparação intensa, Adriele Marcela revela que o segredo para o seu sucesso é ter amor pela natação, além do apoio incondicional que tem dos pais que são seus maiores fãs. 

    "Os treinos são bem intensos, mas como eu amo natação consigo levar numa boa. O meu segredo é amar o que faço e também o apoio de meu pai e minha mãe que amo muito", conta a talentosa nadadora.

    Outra nadadora que também estará demonstrando todo seu talento nas piscinas é a Angelynne Victória, de 11 anos. Há seis anos, ela está no esporte em busca de ser uma das grandes nadadoras do Brasil e do Amazonas.

     

    Angelynne Victória é uma das revelações da natação
    Angelynne Victória é uma das revelações da natação | Foto: Brayan Riker
    "

    O meu objetivo nesta competição é melhorar meus tempos, permanecer ranqueada entre as melhores nadadoras do Brasil e trazer ótimos resultados para o clube Instituto Pedro Nicolas e principalmente para o nosso Estado. "

    Angelynne Victória, Nadadora

     

    Os pais da atleta, Alfredo Rocha Filho e Dalyenne Rocha, grandes incentivadores da menina, também estão com a expectativa altas para a carreira. 

     

     "Gabi Ouro", já participou de mais de 30 competições e já tem 150 medalhas no currículo
    "Gabi Ouro", já participou de mais de 30 competições e já tem 150 medalhas no currículo | Foto: Brayan Riker

    Outra grande aposta para o pódio é Gabriel Castro, o "Gabi Ouro", que já participou de mais de 30 competições e já tem 150 medalhas no currículo. O garoto já esteve no pódio de grandes competições e tem enorme potencial de se tornar um grande atleta brasileiro. 

      Esta não é a primeira vez do atleta em um Norte-Nordeste, e além da participação da competição, o menino ainda vai competir em uma maratona no Lago do Robertinho também em Boa Vista.  

    "Das 11 provas que vai nadar, ele tem condições de ganhar todos os ouros. Ele ainda vai participar de uma maratona, que é a primeira vez dele, e estou um pouco nervoso porque ele nunca nadou em águas abertas", conta Miguel Castro, pai do "Gabi Ouro".

     

    As gêmeas Mariana e Juliana Azevedo Hayashi também estão nas apostas para levarem a melhor
    As gêmeas Mariana e Juliana Azevedo Hayashi também estão nas apostas para levarem a melhor | Foto: Brayan Riker

    As gêmeas Mariana e Juliana Azevedo Hayashi também estão nas apostas para levarem a melhor. Com o sonho de um dia poderem concorrer nas Olimpíadas, as duas pararam por conta da pandemia e começaram a recuperar suas rotinas de treinos este ano, o que não será um empecilho para elas serem uma ameaça para os candidatos.

     

    As gêmeas Mariana e Juliana serão adversárias na competição
    As gêmeas Mariana e Juliana serão adversárias na competição | Foto: Brayan Riker

    Uma curiosidade que a mãe, Adriana Azevedo, conta é que em algumas das provas as duas serão adversárias. Apesar da competição, elas são tranquilas quanto a isso. 


     

    Cícero possui talento de sobra para levar a melhor na piscina
    Cícero possui talento de sobra para levar a melhor na piscina | Foto: Brayan Riker

    O destaque também vai para Cícero Neto, de 11 anos,outro pequeno competidor que possui talento de sobra. O menino revela que treina intensamente. 

      Assim como os outros competidores, Cícero tem o sonho de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos e apoio e amor dos pais, Dalyne Alencar e Jhefferson Moraes, ele tem de sobra. A progenitora revela que o principal que deseja é que seu filho seja feliz na piscina.  

    "Desejo que ele supere seus limites, alcance seus objetivos e seja muito feliz na piscina".

    Incentivo dos pais

     

    Pais incentivam o esporte
    Pais incentivam o esporte | Foto: Brayan Riker

    Um dos principais dificuldades da natação é a falta de incentivo. Todos os candidatos estão indo com patrocínio financeiro das famílias. 

    Dalyenne, mãe de Angelynne, conta como enfrenta as dificuldades para que os filhos não parem no esporte.  "Nós arcamos com todas as despesas necessárias como: mensalidades, equipamentos, suplementação, inscrição de provas, viagens, entre outros".

    A mãe de Cícero afirma que o esporte ainda necessita de um apoio maior e com quem ela a situação não é diferente. Os pais lidam com isso como um investimento na vida do filho. 

    "O esporte ensina disciplina, foco, trabalho em equipe, ser solidário, gentil e respeitoso. O esporte ensina que para você ser campeão você precisa trabalhar duro, os resultados não vem da noite para o dia", disse. 

    O amor pelos filhos e a crença nos sonhos fazem os pais acreditarem e sendo os maiores incentivadores dos atletas mirins. 

    Leia mais: 

    Em Manaus, pais são responsáveis na inserção de crianças nos esportes

    Gabriel Castro, o 'Gabi Ouro' é promessa da natação amazonense

    1º dia do Troféu Brasil de Natação tem revelação de nadador de 16 anos