Fonte: OpenWeather

    Jogo na Arena da Amazônia


    Arena da Amazônia pode receber 13 mil pessoas para Brasil e Uruguai

    Segundo o governador, 30% da capacidade do estádio será liberada para a torcida

     

    O jogo é válido pela 12ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022
    O jogo é válido pela 12ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 | Foto: Divulgação

    Manaus (AM)- O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), anunciou nesta quinta-feira (16) que a partida entre Brasil e Uruguai, marcada para o dia 14 de outubro na Arena da Amazônia contará com a presença de público.

    O jogo é válido pela 12ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. A informação foi publicada pelo “GE”.

    Segundo o governador, 30% da capacidade do estádio será liberada para a torcida acompanhar o jogo da Seleção Brasileira.

    A Arena comporta 44 mil torcedores, com isso, a expectativa é de que cerca de 13 mil torcedores assistam ao jogo das arquibancadas.

    Essa será a primeira partida do Brasil com a presença de público desde o início da pandemia no ano passado.

      Os jogos que estavam sendo realizados no estado não permitiam a presença de público, por conta do risco de contágio da Covid-19.  

    "Com a vacinação em massa realizada no Amazonas, a vida felizmente começa a voltar ao normal. A Arena da Amazônia, sede de quatro mutirões de vacinação, vai receber Brasil x Uruguai, no dia 14 de outubro, pelas eliminatórias da Copa do Mundo", disse Wilson Lima quando o evento foi confirmado para acontecer em Manaus. 

    Para receber o jogo nas condições ideais, o governo estadual, através da Fundação Amazonas de Alto Rendimento, passou a fazer reparos nos gramados e na iluminação do estádio.

      Além do Uruguai, o Brasil ainda enfrentará a Venezuela e a Colômbia, estes dois confrontos no entanto, serão fora de casa.  

    O Seleção é a 1ª colocada na classificação com 24 pontos. São 8 vitórias em 8 partidas disputadas. 

    *GE

    Leia mais:

    Seleção Brasileira enfrenta Chile, Argentina e Peru em setembro 

    Governador descarta Brasil e Uruguai na Arena da Amazônia