Fonte: OpenWeather

    Outubro rosa


    Praticar atividades físicas reduz riscos de câncer de mama em 20%

    A atividade física promove o equilíbrio dos níveis de hormônios, reduz o tempo de trânsito gastrointestinal, fortalece as defesas do corpo e ajuda a manter o peso corporal adequado

     

    Assim, se movimente naquelas modalidades de atividade física que você gostar
    Assim, se movimente naquelas modalidades de atividade física que você gostar | Foto: Reprodução

    O mês de outubro iniciou e com ele, a luta contra o câncer de mama vem à tona. O que muito desconhecem é atividades físicas realizadas regularmente podem diminuir o risco de desenvolver câncer de mama em cerca de 20%. 

    Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), realizar atividades físicas como parte da rotina diária, começando por aquelas que lhe deem prazer, como caminhar, andar de bicicleta, dançar e nadar contribuirão para a proteção contra o câncer.

    Caminhar ou ir de bicicleta para o trabalho, subir pelas escadas em vez de usar os elevadores, estabelecer momentos com a família e/ou amigos para atividades ao ar livre e/ou em praças públicas são algumas opções para começar e/ou aumentar a atividade física no dia a dia.

    Aquelas modalidades sistematizadas ou que demandem a contratação de serviços como academias podem ser opções, mas não são as únicas.

     

    Sempre procure organizações especializadas em programas de exercícios para pacientes com câncer
    Sempre procure organizações especializadas em programas de exercícios para pacientes com câncer | Foto: Reprodução

    Saúde

    A atividade física promove o equilíbrio dos níveis de hormônios, reduz o tempo de trânsito gastrointestinal, fortalece as defesas do corpo e ajuda a manter o peso corporal adequado. Com isso, contribui para prevenir o câncer de intestino (cólon), endométrio (corpo do útero) e mama.

    Existem recomendações que sugerem a realização de pelo menos 30 minutos de atividade física de intensidade moderada por dia, mas já há evidências de que mesmo quando realizada por menos tempo a atividade física traz benefícios para a prevenção de câncer e para a saúde.

    Assim, se movimente naquelas modalidades de atividade física que você gostar. A duração (tempo) e a intensidade ('esforço') tornam-se mais alguns elementos, não os principais.

    É importante limitar hábitos sedentários como assistir à televisão, usar por muito tempo celular, tablet e computador ou jogar videogame.

    O risco de recaída também é muito menos provável em mulheres que praticam exercícios e esportes: três horas por semana reduziriam o risco de recorrência em 20%. Essa taxa sobe para 50% para mulheres que praticam 9 horas de esporte por semana.

    O esporte também tem benefícios significativos para pacientes que já foram diagnosticados com câncer. 

    Os efeitos colaterais do tratamento são mais bem tolerados. Cansaço e dor podem ser aliviados, ajuda a fortalecer as articulações e os músculos e, desta forma, a recuperar a forma física mais rapidamente. 

    Acompanhamento 

     

    Os efeitos colaterais do tratamento são mais bem tolerados
    Os efeitos colaterais do tratamento são mais bem tolerados | Foto: Reprodução

    Lembre-se: o exercício e o esporte devem ser supervisionados. O ideal é que um profissional de educação física ou fisioterapeuta te oriente num primeiro momento, supervisionado pelo seu médico do esporte. Tenha cuidado, você deve ter cautela, pois a imunidade estará alterada e pode mudar seu metabolismo, incluindo força e performance.

    Sempre procure organizações especializadas em programas de exercícios para pacientes com câncer. Procure fazer sessões esportivas supervisionadas por médicos com título de especialista e que tenham experiência com pessoas com câncer, em tratamento ou em remissão. Esse suporte também pode ser individual e domiciliar.

     

    O risco de recaída também é muito menos provável em mulheres que praticam exercícios e esportes
    O risco de recaída também é muito menos provável em mulheres que praticam exercícios e esportes | Foto: Reprodução

    Alguns programas devem ser personalizados com base em sua idade, condição e histórico médico, levando em consideração também seus desejos e objetivos, pois deve ser considerada a individualidade, tipo de cirurgia e tratamento realizado, doenças e morbidades associadas.

    Isso ocorre porque, a fim de apoiar os pacientes com câncer na recuperação do controle sobre seu corpo, é vital ter uma boa compreensão dos mecanismos da doença e do impacto que o exercício pode ter.

    Leia mais:

    Saiba as doenças que dão direito de aposentadoria por invalidez

    Tomar antibióticos por mais de seis meses aumenta riscos de câncer