Fonte: OpenWeather

    Contagem regressiva


    Final da Libertadores: saiba como será a decisão em Montevideo

    Capital uruguaia espera receber 30 mil brasileiros, e a Conmebol e os clubes tentam evitar casos de violência

     

    Final brasileira da Libertadores agita Montevideu
    Final brasileira da Libertadores agita Montevideu | Foto: Divulgação

    A data da final da Copa Libertadores entre Palmeiras e Flamengo está se aproximando e as expectativas no Brasil são altas e cada vez mais palpáveis. A decisão do torneio está marcada para o dia 27 de novembro, no Estádio Centenário, em Montevideo.

    O jogo envolve dois clubes que não só são aqueles que têm dominado o futebol brasileiro nos anos mais recentes, mas, também, que possuem grandes torcidas.

    A ansiedade dos torcedores pode ser vista, por exemplo, na atitude de um pai que se revoltou contra a escola do filho que marcou a formatura para a data da grande final. A expectativa é grande também nos sites de apostas onde os brasileiros escolhem o seu favorito. Para ter acesso às melhores odds, conheça tudo sobre a Betway, um dos principais sites em atividade no país.

    O estádio e a torcida

    O governo do Uruguai liberou a lotação de até 100% no Estádio Centenário, o que significa que a final entre Palmeiras e Flamengo poderá receber cerca de 60 mil torcedores. A Conmebol se mobilizou para tentar obter a permissão da lotação máxima na arena.

    Para entrar no Estádio Centenário, será exigido um comprovante de vacinação contra a covid-19 ou um teste PCR negativo para a doença.

    O governo local de Montevideo espera receber cerca de 30 mil brasileiros para as finais da Libertadores e da Copa Sul-Americana. A decisão do segundo torneio mais importante da América do Sul entre Athletico-PR e Red Bull Bragantino está marcada para este sábado (20), também na capital uruguaia.

    Essa expectativa, porém, é demais para a cidade. Segundo o Observatório de Turismo de Montevideo, a capital possui apenas 10 mil leitos de hotéis de uma a cinco estrelas, hostels e pousadas, o suficiente para acomodar apenas um terço do público esperado.

    A esperança é que as vagas pelo aplicativo Airbnb e os leitos das cidades vizinhas sejam suficientes para atender a invasão brasileira no país vizinho.

    Atenção total à segurança

    A grande mobilização de torcedores flamenguistas e palmeirenses acendeu alertas na Conmebol e nas autoridades uruguaias. Os presidentes do Flamengo, Rodolfo Landim, e do Palmeiras, Mauricio Galiotte, se reuniram em outubro com o líder da confederação sul-americana, Alejandro Domínguez, para discutir a logística da final – e a segurança foi o assunto principal.

    Landim e Galiotte se comprometeram a combater a violência entre torcedores, uma questão que ganhou preponderância com a rivalidade crescente entre Palmeiras e Flamengo.

    Além disso, a Conmebol e as polícias do Uruguai e do Brasil estão cooperando para evitar casos de violência nas estradas que ligam os territórios dos dois países.

    Os treinos

    As delegações de Palmeiras e Flamengo terão que chegar a Montevideo no dia 24, uma quarta-feira, três dias antes da final, que será em um sábado.

    Nesse meio tempo, os clubes vão treinar em espaços definidos e alugados pela Conmebol. O Palmeiras fará seus treinos no Estádio Parque Central, casa do Nacional, enquanto o Flamengo terá à sua disposição o estádio Campeón del Siglo, que pertence ao Peñarol, arquirrival do Nacional.

    O árbitro

    Quem vai apitar a final da Libertadores entre Palmeiras e Flamengo é o argentino Néstor Pitana, um nome tradicional da arbitragem sul-americana. Pitana está no meio de uma polêmica na Argentina devido ao seu comportamento, que já foi classificado de “arrogante” e “prepotente” pela imprensa do país latino-americano.

    No dia 6 de novembro, Pitana apitou uma partida entre Colón e Platense pela 20º rodada do Campeonato Argentino – que o Colón venceu por 3 a 0. Pitana deu dois minutos de acréscimo no primeiro tempo, e o Colón abriu o placar aos 47 minutos e 2 segundos.

    O zagueiro Nahuel Iribarren, do Platense, foi até Pitana e questionou se o gol havia acontecido no tempo estipulado. O árbitro respondeu com educação, mas, em seguida, expulsou Iribarren. O jogador afirmou que não cometeu excesso verbal contra Pitana.

    A final entre Palmeiras e Flamengo está marcada para as 17h do dia 27.

    Leia mais:

    Proibição de bebida alcóolica na final da Libertadores gera polêmica

    Pai se revolta com escola por formatura na final da Libertadores

    Torcidas do Palmeiras e Flamengo criticam preços de ingressos da final