>

    Fonte: OpenWeather

    Saúde


    O prejuízo do cigarro

    O cigarro é tão prejudicial a nossa saúde que todo o mecanismo afeta o nosso corpo, Nosso sistema imunológico já se torna mais frágil com esta porta de entrada tornando o indivíduo mais vulnerável a infecções respiratórias

     

    | Foto: Divulgação

    Houve uma época que fumar era considerado um status social, o incentivo vinha de todos os lados, propagandas, novelas, atores famosos e até mesmo as crianças eram expostas ao vício na própria família. Felizmente nossa realidade mudou e transformou o cigarro em um perigoso vilão da saúde. De fato, o tabagismo hoje é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina e, segundo dados de 2020 da Organização Mundial da Saúde (OMS), ainda mata mais de 8 milhões de pessoas ao redor do mundo.

    O tabagismo constitui fator de risco para o aparecimento de mais de 50 doenças, entre elas associadas a vários tipos de câncer, tuberculose, infecções respiratórias, úlceras, impotência sexual, infertilidade, catarata, entre outras; além disso, é uma das condições para as complicações da Covid-19 deixando o grupo dos fumantes mais vulneráveis ao agravamento da doença.

    O cigarro é tão prejudicial a nossa saúde que todo o mecanismo afeta o nosso corpo, vejamos. Iniciamos com a boca, o primeiro canal prejudicado são nossas papilas degustativas com a perda do paladar e nosso sistema imunológico já se torna mais frágil com esta porta de entrada tornando o indivíduo mais vulnerável a infecções respiratórias. Em seguida, temos o trato respiratório que é constituído de uma estrutura bem diferenciada que engloba todo o conjunto com as vias aéreas, nariz, boca, faringe. Diversas substâncias prejudiciais do cigarro deixam rastros em todo o percurso causando queimação e alteração na oxigenação do sangue.

    O órgão mais afetado é o nosso pulmão. O tabagismo é a principal causa de mortes por câncer de pulmão no mundo.  A fumaça faz com que os pulmões percam suas elasticidades, penetra em sua rede alveolar e vascular obstruindo a passagem do oxigênio inalado até os alvéolos e, com isto, o acúmulo do gás carbônico cai na circulação contribuindo para uma baixa considerada na oximetria do processo respiratório. A consequência são as doenças pulmonares obstrutivas crônicas “DPOCs”, cujos sintomas são hipersecreção com tosse e expectoração de secreção escura e consistente, falta de ar, aumento da pressão arterial, taquicardia e, muitas vezes, arritmia, dificuldade de deambular pelo cansaço, insônia, perda do apetite e irritabilidade.

    Qualquer resfriado comum pode virar uma pneumonia nos fumantes, não há benefícios, apenas perdas, inclusive da aparência, pois os fumantes aceleram o processo do envelhecimento deixando seus dentes escuros, cabelos frágeis e pele enrugada.

    Portanto, não fumem, e busquem tratamentos para abandonar o vício em nicotina. Resgate sua qualidade de vida e sua saúde abandonando esse vício mortal. Cuidem-se!