Fonte: OpenWeather

    Dia dos Finados


    Cemitérios estão de portas fechadas no Dia dos Finados em Manaus

    Ao contrário de 2019, neste ano, a pouca movimentação representou poucos ganhos para os vendedores ambulantes

    Na porta do cemitério está fixada uma placa informando sobre a proibição de visitações neste feriado
    Na porta do cemitério está fixada uma placa informando sobre a proibição de visitações neste feriado | Foto: Suyanne Lima

    Manaus - O feriado do Dia dos Finados celebrado nesta segunda-feira (2), é geralmente uma data que leva uma multidão aos cemitérios municipais de Manaus. Para entrada se formavam filas e aglomeração, cenário totalmente diferente da comemoração neste ano.  

    Na porta do cemitério São João Batista, no Boulevard Álvaro Maia, no bairro Nossa Senhora das Graças, na Zona Centro-Sul de Manaus, muitas velas e poucas pessoas fazendo preces. Alguns apenas paravam os carros, deixavam as velas e iam embora.

    Para a vendedora ambulante Rutieva Dias, o cenário atual é um momento histórico. Ela trabalha vendendo velas e flores na porta do cemitério. 

    Para a vendedora ambulante Rutieva Dias, o cenário atual é um momento histórico
    Para a vendedora ambulante Rutieva Dias, o cenário atual é um momento histórico | Foto: Suyanne Lima

    “Esse momento de portas fechadas vai ficar para história. Trabalho aqui desde criança, tenho 57 anos de idade e em todos os anos já estive aqui  sempre foi uma multidão. Eram filas e filas para entrar. É motivo para a gente se voltar pra Deus, olhar para nossos erros e refletir. Nós não devemos esquecer dos nossos entes queridos, pois eles contribuíram para o nossa evolução espiritual”, declarou. 

    A pouca movimentação de pessoas representou poucos ganhos financeiros. “Vendi muito pouco, estou aqui desde às 7h e a movimentação está baixa”, contou. Na porta do cemitério está fixada uma placa informando sobre a proibição de visitações neste feriado.

    Celebração

    Na Catedral Metropolitana de Manaus, no bairro Centro, na Zona Centro-Sul de Manaus, o arcebispo metropolitano de Manaus, Dom Frei Leonardo Ulrich Steiner, celebrou uma missa para recordar e rezar pelos falecidos. Muitos fiéis participaram da celebração.

    A Igreja também lançou a Campanha Árvore da Esperança também foi lançada onde fiéis doaram mudas de plantas para e levaram as mudas para serem abençoadas. O intuito é que sejam plantadas pelo menos mil árvores pelos fiéis e cada uma representará a memória dos falecidos em decorrência do coronavírus. 

    “Nossos fiéis não puderam fazer a visita ao cemitério como queriam mas eu creio que conseguimos expressar a nossa dor, mas também a nossa fé. Nós sabemos da dificuldade de homenagem aos mortos e organizamos essa celebração com o plantio de árvore. Todos irão plantar uma memória e uma recordação de esperança pra lembrar quem se foi vítima da Covid-19. Quem esteve em casa assistiu virtualmente e pela TV. Para amenizar essa dor, acendam uma vela e façam uma oração”, declarou o arcebispo de Manaus.

     aposentada Maria das Graças Pereira Ferreira esteve na celebração
    aposentada Maria das Graças Pereira Ferreira esteve na celebração | Foto: Suyanne Lima

    A aposentada Maria das Graças Pereira Ferreira, de 71 anos, esteve na celebração e agradeceu a oportunidade de rezar pela memória da mãe e de três irmão já falecidos.

    “A celebração foi muito boa, gostei muito de participar. Não pude ir ao cemitério mas aqui consegui viver o belo momento de recordar”, declarou a aposentada.


    Veja mais:

    Famílias relembram entes que morreram de Covid-19 no AM

    Finados: psicóloga alerta sobre desafio de superar o luto na pandemia

    Cemitérios de Manaus estarão fechados no Dia de Finados