Fonte: OpenWeather

    Motocicletas


    A inglesa Triumph produzirá nova moto clássica em Manaus

    Lançada recentemente no mercado internacional, a Speed Twin, que faz parte da estratégia de crescimento da marca no Brasil, deve começar a ser produzida no PIM em março

    A Speed Twin conta com sofisticações como freios Brembo com pinças de quatro pistões, rodas de liga leve de 17 polegadas
    A Speed Twin conta com sofisticações como freios Brembo com pinças de quatro pistões, rodas de liga leve de 17 polegadas | Foto: Divulgação

    Manaus -A multinacional inglesa Triumph planeja trazer, para a sua linha de montagem do Polo Industrial de Manaus (PIM), a produção da nova moto clássica Speed Twin e a partir daqui levar o modelo ao mercado brasileiro. A nova clássica da Triumph, que deve começar a se produzida em Manaus em até três meses, segundo o gerente geral da fábrica, Leandro Oliveira, faz parte da estratégia da marca que estima crescimento de 10% no Brasil, neste ano.

    Somente no segmento de motos clássicas, por exemplo, a meta é elevar as vendas das cerca de 1.000 unidades comercializadas em 2018 para pelo menos 1.100 motos em 2019. Para atingir esse resultado, uma das estratégias da empresa é continuar ampliando o leque de opções para o consumidor na família Bonneville.

    Atualmente, a marca inglesa oferece sete modelos com este perfil no Brasil: Bonneville T100 Black, Street Twin, Street Scrambler, Bonneville T120, Bonneville T120 Black, Bobber e Thruxton R. Uma das novidades já confirmadas  para este ano é a chegada da novíssima Speed Twin, no final do primeiro semestre - ainda sem preço definido para o mercado nacional. A nova Speed Twin acaba de ser apresentada no mercado internacional.

    O modelo atual é baseado na tradicional Speed Twin produzida pela Triumph em 1938, incorporando todo o estilo, conforto, requinte e tecnologia de última geração da família Bonneville da Triumph. A Speed Twin reúne o mesmo estilo contemporâneo da bem-sucedida Street Twin, embora com mais detalhes e recursos premium, o excelente desempenho e tecnologia da café racer Thruxton R e, ainda, o estilo mais confortável de pilotagem oferecido pela Bonneville T120. O resultado é uma motocicleta única, atual e empolgante.

    Seu motor de 1200 cc oferece o mesmo rendimento da Thruxton R, desenvolvendo 97 cavalos de potência (a 6.750 rpm) e 112 Nm de torque (a 4.950 rpm). O novo modelo ainda conta com sofisticações como freios Brembo com pinças de quatro pistões, rodas de liga leve de 17 polegadas, novo ajuste das suspensões e faróis em LED, entre outras inovações.

    A Triumph Motorcycles fechou o ano de 2018, com um total de 4.400 motocicletas comercializadas no varejo, o que representará um crescimento de 11% sobre as 3.949 unidades vendidas em 2017. A participação de mercado brasileiro da marca atingiu um percentual de 13,55% das vendas dentro do seu segmento (motocicletas acima de 500 cc) no período - é a terceira maior participação alcançada pela Triumph no planeta, só perdendo para Inglaterra e Índia.

    Em 2017, a participação da marca já estava acima da sua média mundial, atingindo 12,8%. “Com esse ótimo resultado, a Triumph do Brasil, assim como em 2017, foi a subsidiária da marca que mais cresceu no mundo todo, demonstrando que o trabalho realizado pela nossa equipe e pela Rede está no caminho certo”, explica Waldyr Ferreira, general manager da Triumph no Brasil.

    Partindo desse bom desempenho em 2018, mesmo em um ano com dificuldades provocadas pela crise econômica, a Triumph já traça um cenário de otimismo para o próximo ano. A empresa pretende comercializar no Brasil, em 2019, um total de 4.800 motocicletas, uma lata estimada em 10% sobre 2018, o que representará o melhor resultado já obtido pela fabricante inglesa no Brasil desde o seu lançamento, em 2012. O volume deverá elevar a participação de mercado da fabricante para algo em torno de 14%.

     A estimativa de crescimento da Triumph no Brasil está acima da previsão da Abraciclo para 2019, calculada em 6%. “Para atingir essa meta, estamos planejando várias novidades já para o primeiro semestre de 2019, incluindo o lançamento de novas tecnologias de última geração e novos modelos de motocicletas, especialmente no segmento de clássicas, que vai fechar o ano com 1.000 unidades comercializadas no País”, afirma Waldyr Ferreira.