Fonte: OpenWeather

    Saúde


    Dose diária de luz solar ajuda na prevenção contra osteoporose

    A osteoporose provoca risco constante de fraturas graves, principalmente na coluna e no fêmur, o que pode comprometer o organismo do indivíduo

    A especialista informa que os raios solares são a maior fonte de vitamina D, essencial para o fortalecimento dos ossos
    A especialista informa que os raios solares são a maior fonte de vitamina D, essencial para o fortalecimento dos ossos | Foto: Freepik

    Hábitos simples, diários e sem qualquer custo, como caminhar e tomar sol, podem prevenir a osteoporose, doença que se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea, aumentando o risco de fraturas, sobretudo nos idosos.

    Quem explica é a endocrinologista e consultora médica do Sabin, Dorothy Aguiar. A especialista informa que os raios solares são a maior fonte de vitamina D, essencial para o fortalecimento dos ossos, e que a quantia presente nos alimentos não é suficiente para suprir as necessidades do organismo, daí a necessidade de exposição do indivíduo diretamente ao sol.

    "As pessoas fogem do sol por vários motivos, especialmente o câncer de pele. Porém, uma dose diária é necessária para evitar osteoporose, visto ser ele quem sintetiza a vitamina D, responsável por promover absorção de cálcio, nutriente essencial ao fortalecimento dos ossos", explica a endocrinologista.

    Ela ressalta, ainda, outros benefícios da vitamina D, como a prevenção a infecções e doenças autoimunes, bem como na melhora do sistema cardiovascular e metabolismo glicêmico.

    De acordo com Dorothy Aguiar, a dose diária recomendada de luz solar direta é de 12 a 15 minutos
    De acordo com Dorothy Aguiar, a dose diária recomendada de luz solar direta é de 12 a 15 minutos | Foto: Freepik

    Atualmente, no Brasil, mais de 10 milhões de pessoas sofrem com osteoporose. No mundo, esse número sobe para 200 milhões de pessoas, sendo o público feminino o mais prejudicado, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

    De acordo com Dorothy Aguiar, a dose diária recomendada de luz solar direta é de 12 a 15 minutos, de preferência durante os horários em que o sol está mais forte, e, se possível, com boa parte do corpo exposta, sem a utilização de bloqueadores dos raios solares.

    "O sol mais forte é o que mais produz vitamina D. Quando se passa o protetor solar, essa produção acaba totalmente. O tempo recomendado não coloca em risco a saúde das pessoas. Muitos evitam a exposição nos horários de pico devido ao câncer de pele, entretanto, tudo feito com moderação não é prejudicial", enfatiza a médica.

    Outro fator que pode contribuir para o surgimento da osteoporose é o distúrbio do hormônio PTH, responsável pela regularização de cálcio no sangue.

    A especialista ressalta, ainda, outros benefícios da vitamina D, como a prevenção a infecções e doenças autoimunes, bem como na melhora do sistema cardiovascular e metabolismo glicêmico
    A especialista ressalta, ainda, outros benefícios da vitamina D, como a prevenção a infecções e doenças autoimunes, bem como na melhora do sistema cardiovascular e metabolismo glicêmico | Foto: Freepik

    Dorothy Aguiar explica que, se o nível de vitamina D estiver baixo no organismo, o hormônio não vai conseguir absorver o cálcio da alimentação para o sangue e, consequentemente, os ossos ficarão enfraquecidos.

    "O PTH alterado acaba tirando o cálcio do osso, tornando-o fraco. A pessoa pode ingerir grande quantidade de cálcio, mas se não tiver um nível razoável de vitamina D no sangue, o cálcio não será absorvido. Por isso, esse hormônio deve estar sempre regular".

    Além disso, a disfunção da tireoide, doenças autoimunes, sedentarismo, alimentação pobre nutricionalmente, tabagismo e o alcoolismo são fatores que ajudam no aparecimento da osteoporose.

    Mais afetados

    A endocrinologista do Sabin informa, ainda, que a osteoporose afeta grande parte do público idoso. Em casos raros, o problema aparece em mulheres na faixa etária entre 20 a 25 anos, devido a problemas hormonais e ou de peso. 

    Nos homens, a doença é mais rara, atingindo apenas aqueles que sofrem com alguns distúrbios provocados pela andropausa.

    "Além dos idosos, a osteoporose pode aparecer em mulheres jovens que têm ou tiveram algum distúrbio no ciclo menstrual por mais de cinco anos. A disfunção nos hormônios deixa o público feminino vulnerável à doença. Mulheres na menopausa e homens na andropausa também estão na faixa de risco, especialmente quando não é feita a correta reposição hormonal", esclarece Dorothy Aguiar.

    A especialista destaca que a osteoporose provoca risco constante de fraturas graves, principalmente na coluna e no fêmur, o que pode comprometer o organismo do indivíduo. A doença é silenciosa e sem qualquer dor, por isso seu diagnóstico preciso é feito apenas por meio do exame de densitometria óssea.

    "É aconselhável praticar a dose diária de sol e fazer atividade física, como a musculação, que aumenta a massa muscular do idoso. Uma boa alimentação também faz toda diferença na prevenção contra a doença", recomenda.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Queridinho dos famosos, 'desinchá' ajuda mesmo a emagrecer?

    Inscrições abertas para curso sobre a vacina HPV. Confira

    Mais da metade dos brasileiros não protege os olhos do sol