Fonte: OpenWeather

    Infecções na primeira infância


    Saiba quando um beijo pode ser fatal para o bebê: especialista orienta

    O que deveria ser uma demonstração de afeto, pode ser fatal para um recém-nascido. Uma carícia, um beijo, e até o simples ato de segurar no colo podem desencadear infecções

    Mãe divulgou foto de bebê após a mãe
    Mãe divulgou foto de bebê após a mãe | Foto: Divulgação

    O que deveria ser uma demonstração de afeto, pode ser fatal para um recém-nascido. Uma carícia, um beijo, e até o simples ato de segurar no colo podem desencadear infecções e levar a morte. 

    No Amazonas, foram registrados 34 casos de herpes em 2018. Um aumento de mais de 50% ) comparado a 2017, que foram apenas 17 casos. Por não ser uma doença de notificação compulsória, não há estatística sobre o número de pessoas infectadas pelo vírus do herpes no Estado.

    O assunto voltou à tona após uma publicação nas redes sociais, da mãe Rafaela Moreira,33,  chamar atenção sobre os cuidados que a visita precisa ter ao conhecer um recém-nascido. “Gustavo foi infectado com apenas 17 dias de vida ficando internado. Isso é muito importante, não é frescura das mães. Parem de querer beijar um bebê que não é seu, isso mata”, escreveu em tom de alerta.

    Segundo a manicure, ela decidiu expor o que aconteceu com seu filho, meses atrás, após ver um caso nos Estados Unidos de uma recém-nascida, com apenas 12 dias, que morreu por ter contraído o vírus da afta, ao ser beijada por uma visita. 

    | Foto: Reprodução

    Gustavo ficou internado 10 dias em tratamento no hospital. Atualmente o bebê passa bem, mas a mãe continua com os cuidados  para evitar que o vírus volte a afetar o organismo da criança.

    A herpes labial é transmitida por contato direto com áreas infectadas, geralmente pelo beijo. Os sintomas aparecem na no rosto, principalmente próximo a boca. “Nos lábios e na cavidade bucal aparecem bolinhas de águas agrupadas que lembram muito lesões de afta. Além da dor, a criança fica babando bastante e  com dificuldades de se alimentar”, explica a dermatologista Paula Rebello.

    Ainda de acordo com a especialista, em geral, o tratamento é injetável, mas de uso hospitalar. Caso os pais percebam algum sintoma, devem ir ao médico imediatamente para evitar um possível agravante da doença. “Embora raro, pode ser fatal, se houver encefalite que é o comprometimento cerebral. Nem todos que tiveram vão morrer, são poucos os casos, mas a possibilidade existe”, afirmou.

    A herpes não tem cura, mas possui tratamentos que aliviam os sintomas causados. O vírus permanece inativo no organismo e dependendo da imunidade da pessoa, ele pode voltar a se manifestar. Em relação aos bebês, devido a baixa resposta imunológicas, os pais precisam estar atentos. “O acometimento do recém-nascido compromete o estado geral da criança e se configura como grave. Em casos virais, o tratamento é com medicação interna, mas depende do sistema imunológico da pessoas e às vezes é difícil”, completou a dermatologista.

    Cuidados necessários

    Logo após o nascimento, é comum que familiares e amigos fiquem ansiosos para conhecer o tão esperado bebê. Na empolgação, alguns esquecem de ter atenção redobrada com a higiene ao entrar em contato direto com a criança, por isso os pais devem ficar atentos.

    “Se for apenas para olhar de longe, não tem problema, mas não aconselho a ficar beijando ou pegar no colo, se a pessoa não lavou a mão ou está com roupa do trabalho. Adultos adoram beijar o rosto das crianças, o que é errado. Além de herpes, tem infecções bacterianas, dermatite de contato, entre outras complicações que podem ser desenvolvidas pela falta de higiene”, explica Paula.

    Um detalhe que poucos se atentam é o forte odor de perfume, o sistema olfativo da criança é sensível e dependo da composição, pode causar irritações na pele do bebê.

    Atenção “não é frescura” e até os famosos aderiram

     Recentemente, Sabrina Sato deu luz à pequena Zoe e até causou uma certa polêmica na internet após divulgar uma lista de recomendações para quem quisesse visitar sua filha. 

    Muitos internautas  consideraram exagero, mas são recomendações necessárias para que a saúde do bebê não seja prejudicada. Ao contrário de Sabrina, a assistente de palco do Ratinho(SBT), Valentina Francavillo, não se preocupou com essas orientações e as consequências foram mais graves.

    Um mês após o nascimento de Giuseppe, em outubro de 2018, o bebê passou 4 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com  diagnóstico de bronquiolite, inflamação nas vias respiratórias.

    "Sempre critiquei aquelas mães que falavam: 'Não venham visitar meu filho, não peguem no colo'. Eu dava meu filho para todo mundo. Acontece que nem sempre a pessoa sabe que, quando tosse e põe a mão, não é por querer, é porque o adulto está acostumado a isso. Se eu tiver outro filho, vou fazer isso: não deixem a visita pegar no colo, tentem evitar visitas o máximo possível, pelo menos até a criança crescer um pouquinho. É melhor a gente se passar por chata do que viver o que eu vivi aqui essa semana", disse Valentina em entrevista.