Fonte: OpenWeather

    Saúde Mental


    Vídeo: Psicóloga fala sobre distúrbios emocionais em crianças

    Em entrevista à WEB TV, apresentado pela jornalista Ayda Rodrigues, a psicóloga Auxiliadora Ribeiro, revela sobre a saúde mental de crianças e adolescentes

    Psicóloga Auxiliadora Ribeiro foi a convidada da jornalista Ayda Rodrigues. | Foto: Divulgação

    Manaus - A convidada da 'Revista Web News', da TV WEB do Portal EM TEMPO, nesta terça-feira (06), foi a psicóloga Auxiliadora Ribeiro. Ela atua há 17 anos atendimento clínico e é aluna em regime especial no mestrado em psicologia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). O tema da vez foi saúde mental de crianças e adolescentes.

    Uma pesquisa alarmante da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a taxa de crescimento de casos de suicídio na faixa etária de 10 a 14 anos aumentou 40% em dez anos e 33,5% entre adolescentes de 15 a 19 anos. 

    "Cada geração que vem, chega mais inteligente. A gente vê uma evolução intelectual, mas o emocional fica fragilizado", conta a especialista. Isso se deve à demanda de expectativas do adolescente e da família em relação a ele mesmo. Esta fase implica muitas mudanças no corpo, pressão estética e outros fatores que sobrecarregam a pessoa muito jovem. 

    A psicóloga conta que existem pais que dizem que só querem que seus filhos sejam felizes e bem-sucedidos. "Só isso? Isso é muito", explica a doutora. "Essa felicidade é muito individual, o que pode trazer felicidade para mim, para você não faz muito sentido". 

    Distúrbios emocionais 

    Distúrbios são uma desordem emocional ou psíquica, que podem ser observados por meio de mudanças de comportamento, como uma inquietação ou um incomodo. Além disso, fatores orgânicos e físicos também podem atingir o emocional da criança e do adolescente.  

    A psicóloga alerta que sinais como isolamento, agressividade, baixo rendimento escolar e desânimo podem ser sintomas de uma desordem psíquica. Apresentando estes sinais, se faz necessária a participação de profissional para que este identifique se consiste em um transtorno. 

    O transtorno emocional infere nos processos mentais, que são a forma de como o cérebro funciona, como ele pensa e age. Por isso, apenas técnicas de um especialista podem levar ao diagnóstico correto.   

    "Todas as pessoas passam por algum tipo de trauma, mas o nosso inconsciente vai interpretar esse trauma de alguma forma. Sendo assim, cada um de nós tem alguma dor, seja emocional ou interpretativa", diz a psicóloga. 

    Auxiliadora também falou sobre as diferenças geracionais na criação de filhos,  a importância do comprometimento dos pais na hora do tratamento e ainda respondeu perguntas do público internauta. Confira a entrevista completa!