Fonte: OpenWeather

    Ministério da Saúde


    Policlínica Codajás participa de curso de atendimento a pessoa trans

    A equipe foi a São Paulo, no Hospital Israelita Brasileira Albert Einstein, onde ocorreu a capacitação

    O atendimento humanizado estão entre os objetivos da ação | Foto: Divulgação

    Manaus - Servidores da Policlínica Codajás, unidade da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), participaram, na sexta-feira (13), de uma qualificação voltada ao atendimento à população de transexuais e travestis. A equipe foi a São Paulo, no Hospital Israelita Brasileira Albert Einstein, para participar do curso realizado em parceria com o Ministério da Saúde (MS).

    De acordo com a diretora da Policlínica, Aída Tapajós, a ideia da qualificação é trabalhar as habilidades comportamentais no atendimento a população de transexuais e travestis. A unidade é referência no atendimento de pessoas trans, que recebem acompanhamento médico e psicológico, por meio de uma equipe de profissionais da Policlínica.

    O atendimento humanizado, acolhedor e livre de qualquer discriminação, que respeite as pessoas, seus valores e seus direitos estão entre os objetivos da ação batizada de “Projeto Transexualidade qualidade e segurança na atenção e cuidado à saúde de travestis e transexuais”. O projeto é financiado pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi – SUS), do Ministério da Saúde.

    Coordenado pelos médicos Ana Paula Avritscher Beck e Eduardo Zlotnik, ambos mestres na área de ginecologia, cenários realísticos de atendimento foram encenados por atores e debatidos no projeto. O uso do nome social, o acolhimento da família da pessoa trans, além do atendimento a adolescentes foram discutidos na qualificação. 

    Para a médica ginecologista da Susam, Dária Neves, a Policlínica se tornou um centro de referência e a qualificação passa por um reconhecimento não somente da equipe médica, mas de toda a equipe multidisciplinar, que atua no atendimento de pessoas trans. 

     "Então hoje é um centro de referência a nível nacional, reconhecido pelo SUS, pelo projeto Proadi-SUS, Projeto Trans. Isso só vem engrandecer as políticas públicas de saúde no Estado do Amazonas", disse a médica.

    Na direção do projeto no Albert Einstein, Ana Paula Beck elogiou a equipe do Amazonas e disse que o trabalho multidisciplinar é o diferencial no atendimento do Estado. Na primeira palestra foram convidados estados da Região Norte e, ao todo, 45 profissionais da área foram capacitados pelo projeto. 

    "Todos (os Estados) têm dificuldade, claro, mas o Amazonas está muito bem estruturado, tem uma equipe  multidisciplinar montada, que é difícil ter, porque precisa de todos os especialistas para fazer isso. Mesmo assim o Amazonas tem uma equipe forte e bem estruturada. Foi muito conhecer e poderemos avançar para outros temas nos nossos próximos encontros", adiantou ela. 

    *Com informações da assessoria