Fonte: OpenWeather

    Saúde


    Entenda o que é Alopecia Areata, doença que causa queda de cabelo

    Fundação Alfredo da Matta reúne pacientes para falar sobre a doença no dia 30 de setembro

    Estudos apontam que a doença tem influências genéticas e ambientais
    Estudos apontam que a doença tem influências genéticas e ambientais | Foto: Divulgação

    Manaus - O mês de setembro é dedicado, também, para conscientizar a população sobre saúde capilar. A Academia Americana de Dermatologia designou este mês para debater a Alopecia Areata, doença caracterizada pela perda de cabelos ou pelos repentinos em áreas arredondadas do couro cabeludo e outras partes do corpo. Estudos apontam que a doença tem influências genéticas e ambientais. 

    A doença é mais comum no couro cabeludo, mas também podem ocorrer em áreas como barba, sobrancelhas, braços e pernas. O problema atinge cerca de 5% da população brasileira e, de acordo com Sociedade Brasileira de Dermatologia, existem casos de pacientes que perdem todos os pelos do corpo. 

    A dermatologista Danielle Westphal, especialista em tricologia, ramo que estuda, pesquisa e soluciona problemas capilares, explica qual o principal sintoma da doença. “O sintoma é a perda brusca de cabelos, geralmente com áreas arredondadas, únicas ou múltiplas, sem demais alterações. A pele é lisa e brilhante e os pelos ao redor da placa saem facilmente se forem puxados”, disse. 

    Segundo a especialista, a doença pode atingir homens e mulheres em todas as idades. Além disso, ela destaca que a Alopecia Areata não é contagiante. “Há casos de alopecia areata total, onde o paciente perde todo o cabelo da cabeça  e, em outros casos, caem os pelos de todo o corpo. A doença não é contagiosa e pode ser tratada com um especialista”, enfatiza. 

    Debate

    A Fundação Alfredo da Matta realiza, no dia 30 de setembro, às 10h, um debate com a comunidade sobre Alopecia Areata. Pacientes, estudantes e profissionais também poderão participar. O evento será no auditório da instituição, localizado na Avenida Codajás, 24, Cachoeirinha. A entrada é gratuita.

    Tratamento

    O tratamento varia de acordo com a forma adquirida. Caso o paciente apresente este sintoma é importante procurar por um médico. “O diagnóstico precoce é muito importante para reverter o quadro. É preciso buscar auxílio dermatológico e também ajuda psicológica para melhorar a qualidade de vida”, destacou da dermatologista.