Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Como podemos manter a sanidade durante este período de crise?

    Mentor de pessoas dá algumas dicas de como manter a calma em uma pandemia

    Depressão - Tristeza - Trauma - Foto Leonardo Mota | Foto: LEONARDO MOTA

    Depressão - Tristeza - Trauma - Foto Leonardo Mota
    Depressão - Tristeza - Trauma - Foto Leonardo Mota | Foto: LEONARDO MOTA

    | Foto:

    A pandemia causada pelo novo coronavírus está deixando o mundo inteiro em alerta. No Brasil, muitas cidades declararam quarentena e determinaram que as pessoas ficassem em suas casas o máximo possível, comércios foram fechados, museus, bibliotecas, entre outros espaços também e quem pode, está trabalhando em casa.

    O momento pelo qual estamos passando é inédito e pode deixar algumas pessoas com a saúde mental abalada. Afinal, nos preocupamos com nossas famílias, amigos, com nosso trabalho, nos cansamos de ficar o tempo todo em casa, pensamos se este momento acabará logo, queremos nossa rotina de volta. Como manter nossa cabeça sã em uma situação complicada como esta?

    André Rezende, consultor de pessoas e negócios, aconselha usar este tempo de isolamento social para conectar-se mais com si mesmo e descansar das rotinas exaustivas que muitas vezes a vida nos impõe: "O que complica o nosso dia a dia são os bombardeios de informações que recebemos ao longo dele e as atividades que às vezes não estão planejadas. Agora podemos nos planejar para criarmos uma rotina menos agitada, que tenha impacto, mas que conte com coisas leves e que ocupem a nossa mente".

    O momento de isolamento também pode ser aproveitado para cuidar também do nosso corpo, exercícios físicos também podem ajudar a controlar um pouco a ansiedade e alguns são possíveis de praticar sem sair casa, como: agachamentos, abdominais, pular corda, entre outros.

    "Na condição de humanos que estamos, temos obrigação de cuidar de nosso corpo, pois nos foi emprestado para guardamos nele a mente, que é o elo de comunicação de nossa alma com este mundo material. Os três juntos formam o nosso eu. É isso que somos." explica André.

    É preciso lembrar também que a pandemia é um período difícil que o mundo está enfrentando, mas pode ser superado. Devemos, claro, colaborar para que isso passe logo, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), ficando em nossas casas. Causar pânico em nós mesmos e em outras pessoas não ajuda, muito pelo contrário.

    A OMS também aconselha em sua cartilha sobre cuidados contra a COVID-19 que a leitura de notícias que podem causar ansiedade ou estresse deve ser diminuída, e que devemos buscar informação apenas de fontes confiáveis, pois a enxurrada de notícias sobre o surto de coronavírus pode levar qualquer pessoa à preocupação. É importante buscar notícias em intervalos regulares, no máximo duas vezes por dia.

    "Existem muitas situações ao longo de nossa vida, como esta pandemia, em que não estamos aptos e nem mesmo nos cabe mudar. Precisamos nos atentar e não deixar que estas situações mudem nossa rota ou nos atrapalhe de alguma forma. O sentimento de ultrapassarmos a barreira do medo para ouvir a voz que vem do nosso interior é garantia do encontro da mente com a alma e esta sensação é indescritível, é única e deve ser vivida principalmente em momentos com esse" diz André.

    É importante lembrar que se a sua saúde mental estiver muito prejudicada, com ataques de pânico e ansiedade constante é importante procurar um psicólogo. Como a recomendação é para ficar em casa, muitos profissionais estão realizando consultas online, por meio de vídeos chamadas. Se proteger contra o coronavírus é importante, mas cuidar da mente também.

    *Com informações da assessoria