Fonte: OpenWeather

    conquista amazonense


    Fazendo história, Beto Simonetti é eleito secretário-geral da OAB

    Pela primeira vez, um conselheiro federal eleito pelo Amazonas ocupa um cargo tão alto na hierarquia da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), abaixo apenas do presidente e do vice-presidente nacional

    Simonetti Cabral foi eleito secretário geral da OAB nacional
    Simonetti Cabral foi eleito secretário geral da OAB nacional | Foto: Malika


    No dia 31 de janeiro deste ano, em uma quinta-feira, em votação de chapa única, o Dr. José Alberto Ribeiro Simonetti Cabral foi eleito secretário geral da OAB nacional, ocupando a posição de terceiro homem na cadeia de comando da instituição.

    É sem precedentes este feito. Jamais um conselheiro federal eleito pelo Amazonas figurou em um posto tão alto na hierarquia da Ordem. Motivo de orgulho para este Estado, relevadas as peculiaridades de cada caso, tal realização faz frente à nomeação do ministro Mauro Campbell para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e à do Dr. Bernardo Cabral para ministro da justiça do governo Collor.

    Aliás, singular nas páginas redemocratização, o próprio Dr. Bernardo já ocupou a cadeira atual de Beto e até foi mais além, alcançando a presidência, mas, para isso, chegou ao Conselho Federal pela OAB do Rio, que era onde advogava à época, não pela do Amazonas. Ele chegou lá um amazonense, mas representando o Rio de Janeiro. Ainda assim, foi uma grande proeza, mas uma diferente.

    Também vale registrar que o Dr. José Paiva de Souza Filho, outro exímio advogado amazonense, já foi tesoureiro nacional. 

    Enfim, de certo, a notícia da eleição de Beto irradia a esperança de dias melhores para a nossa terra, com maior representatividade nacional e melhores resultados para o povo. Sem dúvidas, a projeção dele em Brasília fará bem à Seccional Amazonas da OAB, hoje presidida pelo Dr. Marco Aurélio Choy, assim como à advocacia amazonense de maneira geral. Para além disso, ela instiga nossos pares a mirarem tão alto quanto ele. Os “cidadãos comuns” principalmente, pela falta de uma palavra melhor, mas também a classe política, que precisa apertar o passo.

    Outro aspecto interessante de se ressaltar é o fato de que Beto é criminalista, tal como o professor Aniello Aufiero, que é outro brilhante conselheiro federal eleito pela OAB/AM. Assim, com toda a certeza, está em condições de melhorar a vida dos seus iguais, que têm sofrido com a perseguição à advocacia criminal.

    “Nós advogados atuantes temos sofrido todo tipo de abuso, convivemos diuturnamente com agressões, limitações de nossos direitos e garantias. [...] A cada dia a função da advocacia criminal passa ser, quando muito, ‘tolerada’ como um mal necessário”, disse Roberto Podval em uma carta pública no ano passado. Isso é algo que pode mudar com o Dr. Beto onde está.

    Ao fim e ao cabo, mais que tudo, aí acompanhado de seus irmãos, parece-me que essa conquista foi uma bela forma de homenagem de Beto ao seu pai, Alberto Simonetti Cabral Filho, que presidiu a OAB Amazonas por quatro mandatos e faleceu em 2008. Talvez essa homenagem não pare por aí. Daqui a uns tantos anos, quem sabe esteja eu aqui a redigir uma nova matéria opinativa, falando sobre a sua eleição para presidente nacional. Não que eu tenha alguma informação privilegiada. Não é isso. Estou apenas sonhando. Estou certo de que essa conquista atual também começou com um sonho ousado. É, foi um grande passo para um amazonense e um passo gigantesco para o Amazonas, como sugere a charge acima, que eu fiz questão de pessoalmente pedir que fizessem.