Fonte: OpenWeather

    Desafio


    Letízia - Pacto de estado

    Artigo de opinião da teóloga e membro da Academia Amazonense de Letras Carmen Novoa

    | Foto: divulgação

    Todo homem que mostra seu poder como potência mundial, no caso os E.U.A., tem que ressurgir de suas dores mais profundas. O grande erro dos Estados Unidos foi deixar-se abater pelo ataque às Torres Gêmeas. Algo inacreditável! Mas criaram uma jurisprudência anárquica, que motivou outros pequenos grupos, chineses (dizem) a alimentar sonhos cada vez dantescos de uma guerra biológica que avassalaria e o deixaria como a 1ª potência mundial.

    Ressurgir das Dores é com a luz do intelecto e coração, Reerguer novamente as torres gêmeas do jeito que eram. E buscando a memória do mundo e da história (UNESCO). Afixarem placas alusivas ao atentado nefando. No entanto fizeram disso um vitimismo. O, 11 de setembro, no marco zero em cerimônias tristes e silenciosas ao fato consumado.

    Tornaram-se para sempre vulneráveis. O terceiro milênio impõe o TRATADO DA FELICIDADE CONTÍNUA esquecendo-se que a humanidade está sujeita à sua cota de lágrimas, de dor, depressões, crises e fracassos. Por outro lado, a vida é feita de triunfos, de risos, de alegrias e festas. Mas não devemos aceitar o caráter individualista do prazer imediato e perene, do ócio constante e consumista, do desperdício. Porque existe nos E.U.A. a sapiência de fazer desses céus de chumbo uma Categoria da Alma feita do levantar a cabeça, honrar os heróis, e continuar com o AVANTE!

    A atitude de não conseguir ver luz, o ressurgir das dores como categoria da alma fez Machado de Assis dizer: “Mudaram os tempos ou mudei eu? Quero de volta o meu céu de abril cinza, mas feito categoria da alma”. Endereçados ao homem de sentimento e coração é fé. Por isso proliferaram os homens de radicalismo extremos. Os que atacam cristãos em suas igrejas, incendeiam-nas, juntamente com os fiéis. Teremos que reinventar outro tipo de evangelização? É tempo de METANÓIA. É tempo de mudanças radicais no comportamento das Igrejas. De novos rumos. Mas cabeças, é corações ao alto!

    São desafios para todos nós. Letízia, rainha da Espanha trabalha na Cruz Vermelha e lá defendeu um PACTO DE ESTADOS. Onde os 3 poderes assinam em favor de um judiciário mais rápido que apontem o erro e a punição imediata do infrator. Lá na Cruz Vermelha ela volta a falar como Llosa. Temos que começar “com as crianças”. Elas, são o principio o começo e o fim de canção de berço, e das escolas a ensinarem o equilíbrio da balança de Themis. Sempre pensando, para o lado dos necessitados.

    Temos que ressuscitar as multidões solitárias por que não se partilha. Por isso insatisfeitos. Ressuscitar o sumo do amor encontrado na solidariedade. Deixar de viver na casca de nós mesmos. E essas não alimentam. Letízia dá o melhor exemplo. Dá seu voluntariado aos famintos do mundo. Ela entendeu que temos que amar juntos outras coisas. De mãos atadas com olhos voltados para amar em horizonte largos e promissores. De PACTO DE ESTADO – Letízia está no instante a frente do domínio da Paz.