>

    Fonte: OpenWeather

    Contexto


    Audiências públicas sobre a BR-319 encerram hoje em Humaitá e Canutama

    A pauta desta quinta-feira (30) abordou o estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) sobre a rodovia

    Escrito por Marcella Fernandes no dia 30 de setembro de 2021 - 20:56

     

     

    | Foto: Reprodução


    Neste sábado, 01 de outubro, o DNIT e o Ibama, seguindo orientações do Ministério Público Federal (MPF), realizam, em Humaitá, no Vale do Rio Madeira, e em Canutama, no Vale do Purus, as últimas audiências públicas, virtuais e presenciais, visando a concessão do licenciamento ambiental necessário para as obras finais da rodovia.

    Em vídeo postado no Grupo “BR-319, Um Direito Nosso”, o presidente da Associação dos Amigos e Defensores da BR-319, André Marsílio, informou à coluna que estará presente na audiência presencial que inicia às 18 horas de hoje em Humaitá, e desmentiu boato sobre a suspensão do evento. “O boato não procede, a audiência ocorrerá e nós estaremos presentes em Humaitá”, disse Marsílio. 

    Como acontece desde a primeira audiência, a pauta do evento desta sexta será o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) sobre a rodovia.

    Wilson e Tarcísio

    O governador do Amazonas, Wilson Lima, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, estão bastante otimistas quanto a obtenção do licenciamento ambiental para as obras do Trecho do Meio que finalizarão a rodovia após as rodadas de audiências públicas.

    Os dois manifestaram total confiança no atual momento de avanços em favor da repavimentação da rodovia. “Vamos mostrar que é possível fazer pavimentação com segurança ambiental no Estado mais preservado do país”, afirmou Tarcísio em suas redes sociais.

    Papel da Aleam

    Ao aprovar a Lei do Gás, a Assembleia Legislativa (Aleam) foi decisiva para o atual momento em que as operações da empresa Eneva no Campo do Azulão em Silves, no Amazonas, possibilitam o transporte de gás para abastecer a usina de termelétrica de Jaguatirica 2, em Roraima.

    A manifestação foi do deputado Adjuto Afonso (PDT) que destacou ontem, em discurso, o papel da Aleam para que a produção de gás fosse descentralizada e fortalecida no Norte do país. 

    “Podemos imaginar a quantidade de empregos que serão geradas no Amazonas e em Roraima graças ao gás, vivemos um momento histórico”, ressaltou Adjuto que participou da inauguração de Jaguatirica ao lado do presidente da República Jair Bolsonaro e dos governadores Wilson Lima e Antônio Denariu.

    Auxílio Gás Social

    O deputado federal Átila Lins (PP) foi um dos parlamentares amazonenses que votaram pela aprovação, na última quarta-feira, do projeto de lei que criou o Auxílio Gás Sociai que vai subsidiar o preço do gás de cozinha para famílias de baixa renda.

    Segundo Átila, o Ministério da Cidadania terá agora 60 dias para regulamentar os critérios que definirão as famílias a serem contempladas, a periodicidade e a operacionalização do auxílio, bem como a forma de pagamento, cujas parcelas não podem passar de 60 dias de intervalo. 

    Mais vacinas 

    Para intensificar mais ainda a campanha de vacinação no Estado, o governador Wilson Lima autorizou novo repasse de vacinas contra a Covid-19 às prefeituras da capital e do interior, para início da aplicação da dose de reforço em profissionais de saúde. 

    Nesta etapa, serão vacinados trabalhadores da área a partir de 50 anos e que tenham tomado a segunda dose ou dose única de vacina há pelo menos seis meses.

    De olho em Dória

    Lideranças empresariais do Amazonas estão analisando os efeitos do pacote fiscal anunciado pelo governador João Dória, de São Paulo, para impulsionar a retomada da economia no estado mais rico do país.

    A partir de janeiro de 2022, Dória reduzirá a alíquota de ICMS de setores geradores de empregos, como indústria de petróleo e gás natural e sucos e bebidas naturais. 

    Também haverá a antecipação da desoneração de ICMS de 2023 para 2022 para diversos setores, como medicamentos, veículos usados, alimentos e bebidas, indústria do agronegócio, reprodução animal, embarcações, arte e transportes metropolitanos.

    Prudência é tudo

    Contatados pela coluna, vários líderes empresariais falaram em “prudência” sobre a repercussão do pacote fiscal paulista no Parque Industrial de Manaus (PIM).

    Eles vão analisar detidamente o pacote para ver até que ponto as medidas de João Dória poderão impactar a indústria amazonense.

    Rotta está bem

    O vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura, Marcos Rotta, deu entrada na manhã de ontem no hospital Check Up, com leves dores causadas por um problema de hérnia, que já era acompanhado pela sua equipe médica. 

    Com o desconforto, a equipe médica do hospital optou por uma cirurgia. Conforme sua assessoria, Rotta já está em casa e passa bem.

    “Manaus Faz Cultura”

    A Prefeitura de Manaus, por meio do Concultura, lança hoje, às 10h, no Palácio Rio Branco, o edital de chamamento público para seleção de profissionais com projetos que se enquadrem no programa “Manaus Faz Cultura”. 

    Com valor total de R$ 900 mil, o processo prevê regime de mútua cooperação a partir da celebração de Termo de Apoio Financeiro.

    Os projetos devem ser destinados à formação em produção artístico-cultural gratuitas para a população, no formato presencial, com, no mínimo, duas turmas por projeto, respeitando os protocolos de enfrentamento à Covid-19.

    “Sete Notas”

    O Concultura e a Manauscult exibem ao público, com acesso gratuito, nesta sexta-feira (1º/10), o documentário “Sete Notas”, do artista visual Tácio Melo.

    O evento, marcado para às 20h30, em frente ao Museu Cidade de Manaus, Centro, narra a história da família Ramos e a sua forte ligação com a música, história e o desenvolvimento cultural e artístico da cidade de Manaus no período áureo da borracha, entre os anos de 1877 e 1940.

    O documentário conta com os depoimentos de Fernando Ramos (neto do português Lourenço Ramos) que decidiu viver em Manaus ao lado de sua mulher e filhos. 

    Rabdomiólise

    A queda de consumo de pescado nos estados do Amazonas e Pará por causa rabdomiólise (urina preta) agitou, na quarta-feira passada, a audiência pública realizada pela Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (Cindra), da Câmara Federal.

    Autores do evento, os deputados petistas Zé Ricardo e Airton Faleiro criticaram os órgãos sanitários pela falta de maiores esclarecimentos à população sobre o problema.

    Cadê os resultados ? 

    Zé Ricardo se disse “estupefato” com a participação da representante da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) na audiência.

    Conforme ela, até o momento ocorreram 91 casos suspeitos da doença, 37 descartados e 54 ainda em investigação. Ou seja, nenhum caso confirmado de rabdomiólise no Pará e no Amazonas.

    Para o parlamentar, a falta de transparência quanto aos resultados reais das investigações prejudica não apenas o consumo de peixes, mas também a economia dos estados do Norte.

    Seguro defeso

    Na audiência da Cindra, o diretor de benefícios do INSS, José Carlos Oliveira, informou que o instituto estuda a possibilidade de um seguro defeso para os pescadores atingidos pela doença de Haff.

    O seguro contemplaria os pescadores de estados e municípios onde o consumo de pescado foi suspenso devido aos casos de “urina preta”.

    Leia mais:

    Aleam foi decisiva para gás do AM seguir para Roraima, diz Adjuto

    Texto base da Lei de Improbidade Administrativa é aprovado no Senado

    Após veto derrubado, Bolsonaro promulga lei das federações partidárias

    Campanha Amazonpedia