Fonte: OpenWeather

    Notas de Contexto


    Luiz Castro estaria na corda bamba?

    O governador deixou claro que o secretário está mais seguro do que “papagaio no arame”

    Wilson Lima afastou qualquer sinal de crise no governo | Foto: Malika

    Mas que corda bamba que nada!

    Andaram dizendo por aí que o secretário de Educação, Luiz Castro (Rede), estava na corda bamba.

    Mas isso não é verdade. O governador Wilson Lima aproveitou sua passagem por Parintins para deixar claro que o secretário está mais seguro do que “papagaio no arame”. Depois de três dias de despacho na ilha do boi, o governador reuniu o secretariado para fazer um balanço do programa e ouvir os principais aliados, entre eles, o secretário de educação, Luiz Castro, que foi surpreendido com elogios do governador. Wilson Lima aproveitou o momento para fazer um reconhecimento a Castro e “afastar qualquer sinal de crise no âmbito do governo”, revelou uma fonte.

    Suportou a tormenta

    De frente para Castro, Wilson reconheceu a forma responsável com que o secretário conduziu a crise com os professores.

    — Entendo a dificuldade, mas que a sabedoria de Castro o ajudou a enfrentar o momento, mesmo sendo bombardeado de críticas –, disse o governador.

    Sem abalos

    Logo, ficou claro que a relação entre Wilson e Castro não sofreu nenhum abalo sísmico, mesmo depois da greve de mais de um mês na rede estadual de ensino.

    Josué tira o time

    De acordo com um portal de notícias local, o deputado estadual Josué Neto, presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), negocia uma saída amigável do PSD com o presidente da sigla, Omar Aziz.

    PTB, aqui vou eu

    Nos bastidores da política baré, comenta-se que Josué pode estar de malas prontas para o PTB.

    A mudança tem como motivação a eleição municipal do ano que vem.

    Como já se sabe, Neto é candidatíssimo à sucessão de Arthur Virgílio.

    Bronca na Câmara

    Os servidores lotados nos gabinetes dos vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) estão na bronca com o presidente da Casa, Joelson Silva (PSDB), porque até ontem não tinham recebido seu salário.

    Cadê o meu?

    O motivo é que os cargos comissionados da presidência e os próprios parlamentares já receberam seus salários de maio.

    Mas os demais funcionários ficaram por último e devem receber somente hoje (28).

    Por que mudou?

    A chateação tem um motivo: há anos os servidores recebem um dia após o pagamento dos salários dos vereadores.

    Neste mês, isso ocorreu na última sexta-feira (24).

    Grosseria

    O vereador Bessa (Solidariedade) tem que, urgentemente, tomar um chá de civilidade.

    Afinal, ele está em um parlamento, e não batendo boca num boteco de esquina.

    Faltou respeito

    Ontem, ele chamou de “ratos” cerca de dez manifestantes que foram à Câmara Municipal protestar sobre a precariedade do transporte coletivo de Manaus.

    Estava em Casa

    O parlamentar esqueceu-se, no entanto, de que a CMM é a casa do povo e todos têm direito de protestar, concordando ele ou não com o teor da manifestação.

    Faz escuro...

    Por falar em CMM, durante a sessão de ontem (27), a luz do plenário Adriano Jorge apagou misteriosamente.

    ...mas eu canto!

    Os microfones dos vereadores, no entanto, permaneceram funcionando, e os debates seguiram por cerca de dez minutos no escuro.

    Cutucada

    O presidente Bolsonaro afirmou que as manifestações de domingo eram um recado às “velhas práticas” que não deixaram o povo se “libertar”.

    Gasolina na fogueira

    A declaração irritou parlamentares, entre eles o vice-líder do PRB.

    — Isso não é bom, não é positivo. Ele fica surfando nessa onda que existe e que aproveitou muito na eleição, um sentimento contra a classe política, e fica botando gasolina na fogueira. Para ele, é burrice –, disse Andrada.

    Ferro nos políticos

    Na última segunda-feira (20), Bolsonaro já havia dado uma estocada.

    — O grande problema do Brasil é a classe política.

    Me inclui no bolo

    Dois dias depois, na quarta (23), disse que, ao fazer a crítica, também poderia ser incluído. “Eu estou no bolo”, declarou.

    Mãos à obra

    Sessenta e oito processos — a maioria recursos de reconsideração, de revisão e ordinário – serão apreciados pelo colegiado do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), hoje (28), durante a 16ª sessão ordinária de 2019.

    Os processos de prestações de contas anuais na pauta são 19.

    Os enquadrados

    Entre os gestores que terão as contas anuais avaliadas, estão do ex-titular da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, Sildomar Abtibol; o prefeito de Atalia do Norte, Nonato Tenazor; o ex-prefeito de Lábrea Evaldo Gomes.

    Leia mais: